30 anos de conquista da América.

Não poderia começar a falar dos 30 anos da conquista da Libertadores de 1981 sem antes falar da conquista do Brasileiro de 1980, mais espicificamente sobre a final contra o Atlético-MG de Reinaldo e Éder. Com a conquista desse título, o Flamengo teve direito de disputar a Libertadores. Antes da final, Zico falara: “Morro, fico inutilizados, mas só saio daqui campeão. Se esse povo não for campeão, prefiro morrer. Desisto de tudo.” Esse era o espírito! Espírito de campeão! O zagueiro Rondinelli, o Deus da Ração não jogou a histórica partida no Maracanã, pois no jogo anterior, Éder havia quebrado o seu maxilar. Mesmo fora de campo, Rondinelli foi fundamental. Cláudio Coutinho, então técnico do Flamengo, leu no vestiário para os jogadores, um bilhete escrito por Rondinelli que estava hospitalizado: “Companheiros, estou bem, torcendo de fora. Vamos pra cabeça.” Aquela mensagem foi um estímulo a mais para cada jogador que ambicionava muito aquele título nacional. Até ali, o Flamengo era chamado de “time de Maracanã” por não ter conquistas nacionais expressivas.

O jogo contou com todos os ingredientes de uma grande decisão quando se fala em Flamengo: Raça, entrega e claro, a Nação em peso no Maracanã. Cento e sessenta e seis mil Rubro-Negros empurravam o Flamengo contra o Atlético-MG que aos vinte minutos do segundo tempo empata a partida em dois a dois com um gol de Reinaldo. Aos 37 do segundo tempo, Andrade domina e lança Nunes na esquerda. Nunes recebe, finge que vai tocar para o meio, mas parte com a bola para a linha de fundo e se depara com o goleiro João Leite desesperado. Nunes não perdoa e fuzila, a bola passa entre João Leite e a trave. É gol do Flamengo e o Maracanã se transforma num templo de Rubro-Negros em extâse pelo primeiro título do Campeonato Brasileiro da história do Flamengo. Foi suado, sofrido, foi Flamengo como sempre deve ser! Naquele mesmo ano, o Flamengo já havia conquistado dois torneios internacionais, o Ramon de Carranza e o Ciudad de Santander (Espanha).

Dados do Jogo:

01/06/1980 – Maracanã – Rio
Flamengo 3×2 Atlético Mineiro

Juiz: José de Asssis Aragão (SP);
Gols: Nunes 7, Reinaldo 8 e Zico 44 do primeiro; Reinaldo 21 e Nunes 37 do segundo;
Expulsos: Reinaldo, Chicão e Palhinha.

Flamengo: Raul, Toninho, Manguito, Marinho e Júnior; Andrade, Carpegiani (Adílio) e Zico; Tita, Nunes e Júlio César. Técnico: Cláudio Coutinho.

Atlético Mineiro: João Leite, Orlando (Silvestre), Osmar, Luisinho (Geraldo) e Jorge Valença; Chicão, Toninho Cerezo e Palhinha; Pedrinho, Reinaldo e Éder. Técnico: Procópio Cardoso.

O ano de 1981 é sem dúvida o melhor ano do Flamengo e de todo Rubro-Negro! Até mesmo para quem nem era nascido na época, como eu. É definitivamente o melhor ano de nossas vidas! Mesmo tendo  nascido três anos depois, me sinto como se estivesse vivido a emoção de toda aquela conquista, sofrido com os jogadores a cada jogo, a cada pancada recebida dos chilenos do Cobreloa na final. É vivo demais!!!!
Na Libertadores, o Flamengo não teve moleza como todos já tinham conhecimento antes de disputar a competição. A Libertadores sempre foi uma competição violenta, de lances desleais e que as vezes conta com a passividade dos juízes. O Flamengo sabia e se preparava para enfrentar tudo isso. Até chegar à final contra o Cobreloa, o Flamengo fez onze jogos, incluíndo o polêmico jogo extra contra o Atlético-MG no Serra Dourada.
Ingresso do 2º jogo contra o Cobreloa
O primeiro jogo da final contra o Cobreloa do Chile foi no Maracanã e o Flamengo venceu por dois a um. O segundo jogo foi três dias depois, em Santiago, podendo o Flamengo empatar para ficar com o título. A torcida Raça Rubro-Negra lotou nada menos que quarenta e dois ônibus e invadiu Santiago. O Cobreloa não queria jogar bola. Zico era constantemente caçado em campo; Adílio teve o supercílio rompido por um soco; Junior, após um choque, foi pisado pelo jogadores do time chileno; Lico perdeu dois dentes e quase ficou sem um olho. Tudo fruto dos socos e chutes dos jogadores chilenos e principalmente do zagueiro Mario Soto. O Cobreloa acabou vencendo o jogo por um a zero. O gol saiu de um cruzamento desviado com a cabeça. No fim do jogo, quase todo time do Flamengo estava ferido. O resultado negativo em Santiago, obrigou o Flamengo a disputar mais uma partida contra o Cobreloa, a terceira e em campo neutro.

A  batalha de Montevidéu:

Entrada do time em campo em Montevidéu
No dia vinte e três de novembro de 1981, o Flamengo entrava no estádio Centenário, em Montevidéu com seus jogadores trazendo a bandeira uruguaia. O Flamengo devolveu toda violência sofrida em Santiago com uma verdadeira aula de futebol. Pode-se dizer que o Flamengo fez naquele dia, talvez, uma das suas maiores partidas de sua centenária história. Logo aos 17 minutos do primeiro tempo, Zico recebe um belo passe de Andrade, bate de virada e faz um a zero para o Flamengo. O jogo era todo Flamengo; Zico e cia. massacraram os chilenos jogando o findo da bola. Faltava matar o jogo e aos 21 minutos do segundo tempo, o Flamengo tem uma falta na entrada da área. Quem bateu? Ele mesmo, Zico! O Galinho cobrou uma falta magistral, o goleiro chileno não esboça qualquer reação, fica extático. A cobrança foi tão perfeita que a bola parece ter sido colocada com a mão no ângulo esquerdo do goleiro chileno. A partir daí foi só administrar o resultado. Era o Flamengo campeão da Libertadores!!!! Era o Flamengo como legítimo dono do Continente!!!

A vingança:

O soco de Anselmo em Mario Soto
Faltando poucos minutos para terminar a partida, Carpeggiani coloca Anselmo no jogo e o jogador disfere um soco no rosto de Mario Soto a pedido do técnico. Era a vingança por toda violência sofrida pelo time Rubro-Negro. O Flamengo se tornou o primeiro time brasileiro campeão da Libertadores após o Santos de Pelé em 1963.
Obrigado aos guerreiros Rubro-Negros pela Raça, dedicação, e Amor a Camisa Rubro-Negra do Flamengo, a mais importante do Mundo!

Time base:

RAUL, LEANDRO, MARINHO, MOZER E JUNIOR; ANDRADE, ADÍLIO E ZICO; TITA, NUNES E LICO.  

Técnico: PAULO CÉSAR CARPEGGIANI

Participaram da campanha:

CANTARELLI, NEI DIAS, FIGUEIREDO, PEU, CHIQUINHO, ANSELMO E BARONINHO.

Campanha:

Atlético-MG (2×2, 2×2 e 0x0)
Cerro Portenõ (5×2 e 4×2)
Olímipia (1×1 e 0x0)
Deportivo Cali (1×0 e 3×0)
George Wilsterman (2×1 e 4×1)
Cobreloa (2×1, 0x1 e 2×0)


Ainda em 1981, o Flamengo foi Campeão Carioca sobre o Vasco, devolveu a histórica goleade sofrida contra o Botafogo em 1972 por seis a zero e em treze de dezembro foi Campeão do Mundo sobre o Liverpool por tres a zero no Japão.

Em 1981, o Flamengo entrou para a história!!!!

SRN!!!
Tulio Rodrigues.
Literaturas consultadas: “O vermelho e o negro” de Ruy Castro 
                                        “Nação Rubro-Negro” de Edilberto Coutinho.
Site consultado: Site Oficial do Flamengo (Flapédia)
Twitter: @poetatulio

Siga-nos no Twitter: @blogserflamengo

Curta nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo

Comentários

No Comments

Leave a Comment