Acorda, Flamengo!

Como a muito não se via, o Flamengo começou a partida no Moacyrzão, em Macaé. Rápido, trocando passes e jogando bem; principalmente, jogando bem. Deivid e Vágner Love protagonizaram, se não o melhor primeiro tempo do Flamengo em toda a temporada.

Mas não foi apenas do lado do Flamengo que a disposição e a velocidade imperavam no jogo. Pelo lado do Bangu, mesmo tendo um time que carecia de jogadores técnicos e rápidos, o time ‘entrou’ no jogo do Flamengo pra valer.

Até arrisco dizer que essa é a melhor escalação do Flamengo, hoje em dia. Na zaga, o plantel que todos já conhecem, com apenas Welinton de mudança. No meio, como volantes, Muralha e Willians. Luiz Antônio, suspenso, não pôde jogar. Na criação de jogadas, Ronaldinho e Bottinelli. E na frente, municiando o ataque, Love e Deivid.

No começo, apenas uma falha num escanteio e quase gol do Bangu. Depois, só deu Flamengo.

Com Willians desarmando bem, Muralha ficava sem muita obrigação de marcar e se via livre para poder sair mais pro jogo. No meio, Bottinelli e Ronaldinho, faziam bom jogo até então.

Ronaldinho, como sempre, fez apenas o básico, pra o que sua habilidade pode proporcionar. Quando não tocava de lado, invertia a bola para Léo Moura que constantemente passava pelo lado direito sem marcação.

Na primeira vez que o Flamengo decidiu por tocar a bola e envolver o Bangu, quase saiu o gol. Ronaldinho viu Léo Moura entrando livre na área, lançou o lateral, que bateu fraco de esquerda. Mas foi para escanteio.

Aos 16, o gol rubro-negro. Em tabela, Ronaldinho lança Vágner Love, que gira na marcação e bate no canto, sem defesa pro goleiro do Bangu. 1 a 0, Flamengo.

Love, que justiça feita, está numa fase primorosa até o momento.

Noutro lance da primeira etapa, Léo Moura levantou na cabeça de Deivid. O atacante cabeceou certeiro para boa defesa do goleiro que deu rebote e Ronaldinho livre, chutou por cima.

O Bangu ainda assustou em bom chute de fora da área de Renan Oliveira, mas quem ia amedrontar mesmo, era o Flamengo no lance seguinte. Deivid descola ótimo passe para Love, que arranca e bate de canhota. Mais um do artilheiro do amor. Mais um do Flamengo. 2 a 0.

Fim de primeiro tempo.

Na volta pro segundo tempo, nenhuma mudança. Exceto na postura dos times. O Bangu decidiu voltar mais agressivo, em contrapartida, o Flamengo voltou menos preocupado com o jogo.

Joel ainda trocou Muralha por Kleberson, pensando em dar, além de chance ao volante, mais vida ao time no jogo. E a punição de tanta sonolência, logo veio. Aos 29, após cruzamento de Thiago Galhardo, Marcos González só olhou e Sérgio Júnior testou pro gol para diminuir a vantagem rubro-negra. 2 a 1.

Joel ainda mexeu novamente, preocupado com a postura cansada do time e com medo do empate do Bangu. Colocou Diego Maurício no lugar de Deivid. Logo em seguida, Love pediu para que Joel sacasse Bottinelli, pois o mesmo estava cansado. Pedido atendido e o técnico pôs Magal no lugar do Argentino.

Não houve mudança na postura do jogo, Love ainda perdeu um gol cara-a-cara com o goleiro e o Flamengo agora precisa pensar na guerra que terá pela frente na quarta-feira contra o Emelec, em Guayaquil, pela 5ª rodada da fase de grupos da Libertadores.

E que São Judas Tadeu mais uma vez, nos abençoe e nos ajude. Pois a tarefa não será fácil.
 
 
Twitter: @43germano

Siga-nos no Twitter: @blogserflamengo

Curta a nossa Fanpage no Facebook: Blog ser Flamengo

 

Comentários