Análise da “entrevista” com esclarecimentos sobre a Tragédia no Ninho do Urubu: Informações requentadas, poucos esclarecimentos e muita frieza

Na tarde deste sábado (01), o canal oficial do Flamengo no Youtube, a Fla TV, divulgou uma “entrevista” sem a presença da imprensa, gravada com esclarecimentos sobre tudo o que cerca a tragédia do Ninho do Urubu. Resolvi fazer uma análise do vídeo de 28 minutos com alguns pontos. Confira!

Logo no início, a apresentadora, Luana Trindade diz que está com várias perguntas da imprensa para fazer ao presidente do clube, Rodolfo Landim, ao vice-presidente geral e jurídico, Rodrigo Dunshee e ao CEO, Reinaldo Belotti.

Ao fazer as perguntas, Luana não menciona o profissional e nem o veículo que a teria feito. Em contato com a comunicação sobre como foram selecionados os questionamentos, me foi informado que foram retiradas dos profissionais e portais que entraram em contato para matérias de um ano da tragédia.

A primeira pergunta foi a mais constrangedora de todas: “Esse assunto já está superado?”. Por mais que as indenizações sejam pagas, os culpados apontados e julgados, este assunto jamais será superado. Como respondeu o presidente, essa foi a maior tragédia do Flamengo e que vai deixar cicatrizes.

Aos 2:15 da “entrevista”, o vice do Flamengo e o CEO são questionados sobre as obrigações junto aos órgãos públicos para regularização da documentação do CT. Antes, a apresentadora fez uma observação de que o clube havia conseguido o alvará após ação na justiça. Se a observação foi feita por algum jornalista, ele deve estar desinformado bem como o próprio clube ao selecionar tal pergunta. É fato público que em 21 de maio de 2019, a diretoria recebeu autorização completa para uso do Ninho após assinar o TAC (Termo de ajustamento de conduta), homologado pelo juiz Pedro Henrique Alves, da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso. Além do fato ter sido amplamente noticiado na imprensa (Clique aqui), o clube emitiu uma nota oficial sobre (Clique aqui). A mesma coisa se deve ao alvará definitivo para o funcionamento do Ninho. No dia 30 de maio de 2019, via site oficial, foi divulgada uma nota (Clique aqui) e a informação foi amplamente divulgada na imprensa (Clique aqui). A mesma coisa para o habite-se. Em agosto do ano passado, em evento com Rodolfo Landim, do vice Rodrigo Dunshee, do CEO Reinaldo Belotti e do diretor de relações governamentais Aleksander Santos, o Fla recebeu da Prefeitura o habite-se parcial. Sendo o definitivo só entregue após a conclusão de todas as obras previstas. Nota oficial: (Clique aqui) e imprensa (Clique aqui). Não há hoje qualquer necessidade de esclarecimentos sobre esses pontos.

5:15. Pergunta ao vice do Flamengo se foi aberta alguma investigação interna para apurar as causas e responsáveis. Em março do mesmo ano da tragédia, dois pedidos de abertura de inquérito foram feitos aos conselhos do clube. Os pedidos foram divulgados (clique aqui) e (Clique aqui), mas ambos negados com a mesma justificativa de Dunshee. De que a apuração interna será após conclusão do caso pela polícia e pela justiça. Outro ponto irrelevante para esclarecimentos.

Aos 10:32, o presidente é questionado sobre a criação de um memorial. Ele diz que será inserido numa capela de São Judas Tadeu, uma homenagem as vitimas fatais da tragédia. Vale lembrar que o projeto da capela já estava no planejamento da gestão anterior para o CT. Ou seja, nada de diferente será feito em memória dos meninos, somente a inclusão na já mencionada capela do padroeiro do clube.

Veja mais:

Em seguida, aos 11:04, é perguntado ao vice geral sobre os acordos restantes. Dunshee disse que após muitas conversas, chegou a um valor e que o clube já fechou acordo com três famílias e meia. Além disso, respondeu que o clube não pode tratar a tragédia para uma família e de forma diferente para outra. Ainda disse que chegou num teto no valor oferecido, que essa é a oferta da diretoria, que estão abertos a negociação, dando a entender que não vão mudar o valor e que as famílias que devem procurar o clube. Em seguida, o presidente Landim complementa que os contatos com as famílias é feito via advogados, uma exigência dos profissionais que barram a aproximação, mas depois se contradiz ao dizer que buscam contato via psicólogos, que uma das famílias foram ao Ninho e a um jogo do clube no Maracanã. A partir dos 17:05, o assunto volta de novo a tona e mais uma vez com resposta contraditória. O CEO diz que o RH tem recebido e retribuído o contato com os familiares de maneira amistosa. Aí pergunto: Por que em diversas entrevistas os familiares alegam abandono do clube?

Sobre repensar os valores, questionamento feito aos 16:25, o mandatário do clube voltou ao esclarecimento anterior sobre o limite que o clube propôs e que isso não deve mudar. Somente a necessidade individual de cada um deve ser avaliado, mas não os valores. O que nos faz concluir que deve dificultar os acordos com as outras famílias.

24:10. O presidente é questionado sobre as vendas milionárias que o clube fez e Reinier foi usado como exemplo. Landim tenta isolar os fatos e diz serem distintos, mas vale lembrar que mesmo com diversos setores diferentes, o clube é abastecido quase que em sua totalidade pelas receitas do futebol, então, o questionamento é válido sim.

Em janeiro deste ano, o Flamengo dispensou cinco garotos da base que sobreviveram a tragédia. Aos 26:07, Landim diz que é analisado os aspectos técnicos e que ele não interfere no caso. Na minha avaliação, esses meninos merecem mais do que qualquer avaliação técnica de desempenho, pois passaram por uma situação que pode ter dificultado as suas atuações não só como atletas. E lembro de um post meu no dia 21 de janeiro sobre o assunto:

Para finalizar, vale destacar a frieza dos dirigentes com tudo que está relacionado a tragédia. Em nenhum momento foi direcionado qualquer recado de conforto para as famílias ou uma maneira de aproximação do clube como instituição além das questões financeiras e jurídicas. Faltou também lembrar da memória dos meninos e se o clube irá fazer alguma homenagem no próximo dia 08 de fevereiro, quando se completa um ano do incêndio no CT.

VIDEO-DOCUMENTÁRIO: O NINHO DO URUBU: DO TERRENO AO LUXO E À TRAGÉDIA

Foto: Reprodução/FlaTV

Por Tulio Rodrigues (@PoetaTulio)

+ Siga o Blog Ser Flamengo no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Dailymotion

Comentários