O que o futebol pode aprender com o basquete

 O basquete está longe de ser o esporte mais popular no topo da cadeia de dezenas de esportes que o Flamengo agrega. Mas todos hão de concordar que o basquete é de longe o esporte que mais cresce em termos de títulos, marketing e gestão aos olhos da Nação Rubro-Negra. Hoje é muito comum que o “Orgulho da Nação” como é chamado o basquete, divida as atenções com o futebol.

  Tudo começa por uma ótima gestão no setor que conta hoje com o Vice-Presidente de Esportes Olímpicos, Alexandre Póvoa e o Diretor de Esportes Olímpicos, Marcelo Vido. Sem vaidades ou politicagem, mantiveram em 2013 a base que já vinha muito sendo montada na gestão anterior.

Vale sublinhar que como todas as modalidades dos Esportes Olímpicos, o basquete não era autossustentável e dependia de receitas oriundas de outras áreas do Clube como o futebol que sempre bancou tudo e ficava com o rombo no orçamento. Não havia planejamento de marketing e muito menos um plano rentável para sua independência financeira.

Para o NBB de 2013 foram contratados alguns jogadores que se integraram a base já montada. Sem engenharia financeira ou loucuras, os jogadores foram pinçados para preencherem as vagas carentes. O Flamengo conquistou o título da NBB que lhe credenciou para a Liga das Américas deste ano.

Em 2013 foi lançado o Projeto Anjo da Guarda Rubro-Negro que consistia na doação de 6% do seu imposto de renda para o Flamengo. Ainda dava a opção de escolher os esportes a receber a contribuição. Ao fim do primeiro ano do projeto, o Flamengo conseguiu arrecadar R$ 1,2 milhões.

Com uma politica pé no chão e sendo comandado muito bem na quadra por José Neto, o Flamengo alçou esse ano o seu terceiro título da NBB e o título da Liga das Américas. O título sul-americano deu ao Flamengo a vaga para disputar o mundial contra o Maccabi Tel Aviv. Dias antes dos dois jogos decisivos contra o time de Israel, tive a oportunidade de perguntar ao José Neto no programa 90 Minutos do Falando de Flamengo qual o impacto causado dos projetos incentivados teve para o Basquete. José Neto respondeu que hoje o basquete do Flamengo é uma modalidade totalmente autossustentável no Clube. Para ver o programa: http://livestre.am/4Xt9O

O marketing é outro ponto a destacar. As camisas do basquete assim como no futebol vem causando uma enorme ansiedade quando estão para ser lançadas. A procura pelas camisas do campeão de tudo do basquete também é grande. Em toda loja do Flamengo é obrigatório o Manto Sagrado das quadras. Outra grande bola dentro, ou bola na cesta foi o convite que o Flamengo recebeu para jogar a pré-temporada da NBA. Em outubro, o Flamengo embarcou para os Estados Unidos para jogar contra o Phoenix Suns, Orlando Magic e Memphis Grizzlies. Ações como essa ajudam a internacionalizar a marca do Clube e o futebol deixa muito a desejar nesse quesito.

Tudo isso não seria possível se o Flamengo não tivesse um basquete campeão e bem gerido.

É bom o departamento de futebol dar uma olhadinha no basquete e absorver o que de positivo pode ser feito!!!

Twitter: @PoetaTulio

Blog Ser Flamengo no Twitter: @BlogSerFlamengo
Página do Blog Ser Flamengo no Facebook: Blog Ser Flamengo
Blog Ser Flamengo no Instagram: instagram.com/blogserflamengo

Comentários