Bandeira sobre torcida única: “É uma medida simplista que não resolve o problema”

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro entrou com uma ação no Juizado do Torcedor e Grandes Eventos, com pedido para que os clássicos do Rio passem a ser com torcida única, a torcida do time mandante da partida. A media prevê uma multa de R$ 30 mil por dia em caso de descumprimento.

“Ao longo dos anos, diversos procedimentos têm sido instaurados e ações civis públicas ajuizadas para tratar de condutas graves, como a participação e o envolvimento de torcidas organizadas em brigas, atos de violência, rixas, homicídios”, ressaltou o promotor de Justiça Rodrigo Terra, responsável pelo ajuizamento da ação ao site G1.

A noticia da possibilidade de jogos com torcida única sofreu muitas críticas da torcida, imprensa e dirigentes. O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, não acredita que a medida possa resolver o problema e a classificou como “uma pá de cal no futebol carioca”.

“Sou totalmente contrário a essa medida de torcida única, descaracteriza o espetáculo de futebol e seria uma pá de cal no futebol carioca. Essa é uma medida simplista que não resolve o problema e parte por uma ótica errada. As mortes provavelmente acontecerão longe dos estádios como acontece quando esses grupos que se denominam torcedores marcam encontros para realizar seus conflitos. Criminoso não tem CNPJ, criminoso tem CPF”, disse Eduardo Bandeira de Mello.

Ainda na ação, o promotor de Justiça, Rodrigo Terra pede que os clubes cadastrem e mantenham atualizadas, mensalmente, as informações de suas torcidas organizadas, identificando seus integrantes com nome e CPF. Pede ainda que os clubes não forneçam gratuitamente ingressos às organizadas nos clássicos no Rio de Janeiro.

Ouça a fala de Eduardo Bandeira de Mello na íntegra:

Tulio Rodrigues (@PoetaTulio)

+ Siga o Blog Ser Flamengo no Twitter, no Instagram, no Facebook e no Youtube.

Comentários

No Comments

Leave a Comment