Bap no Magia: Direto e claro! O homem do destino eleitoral de 2015

 Bap disse que saiu do Flamengo, mas o Flamengo não saiu dele. A frase não pode ser atribuída a sua participação da política do Clube. Bap deve vivê-la todo dia e atuar nos seus bastidores com uma frequência  enorme. Em entrevista ao Magia Rubro-Negra (https://www.facebook.com/magiarubronegra/posts/786077098129951), Bap foi direto a pontos que muitos não queriam acreditar: Bap não apóia o atual grupo da situação caso o candidato seja Eduardo Bandeira de Mello. Parabéns a Vivi Mariano que foi tão direta quanto o Bap ao iniciar a entrevista com a pergunta chave.

Em declarações e momentos como esse, análises sem doses de razão não ajudam. Por isso vamos aos fatos. Bap em nenhum momento fala que será de alguma forma oposição ao grupo que hoje administra o Flamengo, o que ele diz é que o Eduardo Bandeira de Mello não é o candidato ideal para o momento do Flamengo.  Ele devolve dizendo que a pergunta deve ser feita ao Eduardo, se ele viria candidato com um outro grupo e não o grupo que ele montou com os membros natos daquele clã.

Fica claro que se voltarmos a 2012, o grupo que lançou a chapa Fla Campeão do Mundo tinha Wallim, Tostes, Gustavo Oliveira, Godinho e outros. Alguns ainda são vice-presidentes, outros ficaram no apoio nos bastidores, mas se Bap tem do seu lado os nomes que impressionaram a todos pelo currículo e pelo sucesso em suas carreiras, podemos dizer que Eduardo ficaria isolado e sem a cereja que encantou a todos em 2012: Os grandes executivos!

Bap mostrou claramente que discorda de decisões e métodos de ação adotados em alguns momentos. A questão da FERJ foi só a gota d’água de um copo que já estava a ponto de transbordar a qualquer momento. Para Bap, o Flamengo precisa ir além do que o atual grupo conquistou e para isso necessita de mudanças. Parece que a postura de diálogo que o Flamengo mantém com os poderes da cidade e do Estado do Rio de Janeiro não agradam ao ex-dirigente. Resumindo: Sem mudanças nas peças que lá estão e me parece que isso não inclui só o Bandeira, com o grupo atual reeleito, só seria feito o mais do mesmo ou seja, manteria o que foi feito sem ir a frente.

Em minha opinião, o desenho político para a eleição que ocorrerá em dezembro só ficará definido após o posicionamento do Bap e do Eduardo Bandeira de Mello. Podemos ter quadros interessantes. Pelos movimentos de bastidores e pela comoção nas Redes Sociais, Eduardo Bandeira de Mello tem o apoio do grupo político que é a espinha dorsal da atual administração. Bap se coloca como o criador do grupo “duro” que conta com os executivos, isso o coloca com o apoio deles. Agora a pergunta: Numa eventual confirmação desse quadro, como se posicionaria alguns ex-presidentes e caciques da política Rubro-Negra que apoiaram a “Chapa Azul” na eleição?

Bap e Bandeira tem hoje a decisão de ditar o rumo eleitoral do Flamengo em 2015. A eleição já começou, mas o start só será dado após os dois se posicionarem. A oposição já se movimenta, mas aguarda essa decisão. Mesmo fora, Bap é tão importante quanto como se estivesse dentro. Bap é mais importante politicamente do que parecia ser. Como ele gosta de se planejar para tomar ações, essa decisão deverá ser tomada daqui algum tempo. Não há uma ruptura, há uma incompatibilidade de ações e execuções. 

—–

Recomendo que ouçam na íntegra toda entrevista do Bap ao Magia Rubro-Negra. Além do seu posicionamento hoje dentro do processo político, Bap falou de Sócio Torcedor, Maracanã, FERJ, estádio… Confiram:

Twitter: @PoetaTulio

Blog Ser Flamengo no Twitter: @BlogSerFlamengo
Página do Blog Ser Flamengo no Facebook: Blog Ser Flamengo
Blog Ser Flamengo no Instagram: instagram.com/blogserflamengo

Comentários