Botafogo 0 x 0 Flamengo – Campeonato Carioca 2012

Domingo de pouco público no Engenhão e de ‘clássico’ no mesmo. Hora certa pra espantar a ‘crise’ que pairava sobre a Gávea? Certamente sim.


Botafogo entrou em campo primeiro. Mas em todos os sentidos. Dominava de canto a canto a partida. Flamengo parecia um lutador nocauteado. Não conseguia trocar passes e desenvolver uma única jogada. Defesa sonolenta, como na maioria das vezes, deu inúmeros espaços para o Botafogo. Inclusive Andrezinho, que deitava e rolava nas subidas em contra-ataque.

Numa delas, quase faz um golaço. Acionado por Maicosuel, Andrezinho pega ótima bola na entrada da área e manda no travessão de Felipe. Que só olhou. Nada mais podia fazer.

Únicos remanescentes ‘vivos’ no jogo, do elenco rubro-negro, Bottinelli, Léo Moura e Felipe ainda davam as cartas e se mostravam presentes. Ronaldinho, nem vou comentar, porque todos vocês já sabem o papelão que esse cara vem fazendo. E não é de hoje. Tem muito tempo já.

Um dos raros momentos de lucidez do Flamengo no primeiro tempo, foi quando Júnior César levantou para Bottinelli chegar de surpresa e mandar uma boa cabeçada pro gol. Só esqueceram de avisar que Jéfferson estava lá para espalmar e mandar à linha de fundo.

O lance em nada abalou o Botafogo, que seguiu em cima, comandando o tom do jogo. Numa dessas chegadas, Antônio Carlos é derrubado por Willians. Pênalti, não marcado. Jogador do Botafogo acabou levando amarelo por suposta simulação.

E falta pro Botafogo. Muito próxima do gol de Felipe. Andrezinho pra cobrança. Foi na trave, sim. Mas dessa vez, não foi como lá dentro do Beira-rio, em que o mesmo numa falta, tirou o Flamengo da Copa do Brasil em 2009.

Fim de primeiro tempo. Almas pro vestiário.

E aos 6 minutos. Logo aos 6, um lance pra acordar a massa rubro-negra presente no Engenhão. Renato Abreu pega rebote da área e manda um verdadeiro cacete (desculpem o termo, não me contive quanto ao lance.) na trave de Jéfferson.

O Flamengo voltou mais aceso pro segundo tempo, mas quem continuaria e/ou aumentaria seu tesão pelo jogo, era o Botafogo. Em lance de bola alçada na área. Élkeson cabeceia livre, Felipe espalma e Loco Abreu, a centímetros do gol, manda fora.

Nesse exato momento do jogo, o mesmo estava eletrizante. Ataque de lá, ataque de cá. Botafogo vinha com tudo, um jogador escorregava ou perdia a bola, lá vinha o Flamengo com tudo e assim sucessivamente.

Até que Bottinelli, recebe excelente bola na frente de Jéfferson. E por capricho, não abriu o placar. Chutou com a parte interna do pé e facilitou pro defensor alvi-negro.

Willians fez falta e reclamou horrores da marcação do árbitro. Pelo excesso, a expulsão. E saiu ironizando o árbitro com aplausos.

Botafogo ainda teve excelentes chances com Loco Abreu e Fábio Ferreira. Em algumas o travessão salvou, em outras, Felipe lá estava.

E nisso ficou, Botafogo 0 x 0 Flamengo.

O desenho desse time para o Carioca, está muito tranqüilo. Até por sair um torneio de ‘várzea’. Já para a Libertadores, tem que mudar muita coisa. A começar por quarta-feira. Espero que esse time mude de postura com a chegada do Joel Santana. Que volte a jogar bem e nos dar alegrias. E jogar bem na Libertadores, que é nossa prioridade pro ano e nosso sonho maior.


Twitter: @43germano

Siga-nos no Twitter: @blogserflamengo 

Curta nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo



SRN
Comentários