Browsing Category : Germano

Primeiras impressões do Flamengo 2016.


Paulo Victor; Rodinei, Juan, Wallace e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão e Federico Mancuello; Marcelo Cirino, Emerson Sheik e Paolo Guerrero. Exos e suas novas tecnologias trazidas e implantadas no Flamengo, Muricy Ramalho e sua comissão técnica. O Flamengo de 2016, numa visão mais real, tem esse panorama, pelo menos até a metade do ano – data em que os prováveis novos reforços da próxima janela, chegam.

Hangout de aniversário. #BSF5Anos


 Para comemorar o nosso quinto de blog, fizemos um hangout de aniversário para agradecer e resgatamos os jogos marcantes, os títulos que o Flamengo conquistou nos últimos cinco anos, e o que mudou no Clube de 2011 até 2016. Saindo da confraternização, falamos da vitória do Flamengo contra o Macaé pelo Campeonato Carioca e a expectativa para a temporada.

Atitude, Flamengo.


Oi, torcedor rubro-negro! Boa noite a você que nesta noite de 8 de novembro, pode não estar morrendo de amores pelo seu, pelo nosso Flamengo, mas vai dormir com um pouco menos de dor. O Flamengo nos frustrou na última semana que passou. E não foi pouco. Foi de uma maneira escandalosa. Vou tentar nesse texto não falar sobre Bonde da Stella e afins, porque é um assunto mastigado e nós esperamos que, também encerrado e superado. Os envolvidos foram punidos, afastados e hoje retornaram ao trabalho de fato.

É necessário pensar.


O que para muitos infelizmente era esperado, aconteceu. O Corinthians venceu o Flamengo em sua Arena, com um gol de Vágner Love, marcado aos 47 minutos do primeiro tempo. Se por um lado, analisando lance a lance, o time paulista não foi tão superior ao Flamengo, na parte tática, Tite mais uma vez provou ser um dos melhores, senão o melhor técnico brasileiro da atualidade.

Frustrante Flamengo.


Três falhas individuais, três gols do Figueirense e nem um do Flamengo. Aliás, no Flamengo o que sobrou foi destempero e desleixo. Como no lance que antecedeu o segundo gol, marcado por Clayton. Desleixo no lance de Canteros, ainda no primeiro tempo, e que deu a brecha para o mesmo Clayton abriu o placar. O infeliz golpe de misericórdia veio no último minuto de jogo, com Dudu, livre, na frente de Paulo Victor e fazendo Pará querer virar goleiro, quando nem lateral ele conseguiu ser esta noite.

O Vasco se encontrou onde o Flamengo se perdeu.


O Flamengo tinha 90 minutos, um jogo inteiro pela frente para vencer o Vasco e afastar qualquer sintoma de crise. Uma crise que ameaça voltar a se instalar caso a coisa piore. Por enquanto, Oswaldo não foi criticado e o cenário não mostra também erros por parte do treinador. O Flamengo que mais uma vez perdeu para o Vasco é reflexo de um time sonhador, que deixou de jogar como manda sua grandeza e da forma que chegou a vencer 6 partidas seguidas até 3 rodadas atrás.

Ainda há tempo.


Como diz um velho ditado: “Chegou o momento de separar os homens dos meninos.” E é mais ou menos isso que paira sobre a nuvem que abriga os 40 milhões de rubro-negros e o time do Flamengo.

Oswaldo de Oliveira perdeu Jorge para este jogo mas ganhou o retorno de Guerrero, recuperado de contusão. Porém podia ver seu time escrever uma outra história caso Alan Patrick tivesse convertido o pênalti que teve a seu favor aos 9 minutos de jogo. Bateu fraco no canto direito de Victor, que foi buscar. O que ele não imaginava era voltar a sofrer com a deficiência latente da bola aérea.