Deivid e sua árdua missão de nos conquistar

Ver o nome do Deivid na escalação do time titular do Flamengo era simplesmente assustador para a torcida. De fato o atacante nunca inspirou confiança suficiente na Nação. Como a primeira impressão é a fica, a que Deivid deixou em 2010 pesou muito para 2011. Sua permanência no Flamengo depende e muito do seu desempenho nos cincos jogos que faltam até o fim do Campeonato Brasileiro.
Algumas vezes a torcida foi injusta com o atacante, o criticavam veementemente quando o jogador tinha péssimas atuações, mas não mudava o discurso quando ele balançava as redes. No Campeonato Carioca, ele fez gols importantes em clássicos e no Brasileiro vem fazendo a diferença na reta final.
Sempre achei o Deivid muito mais jogador do que Wanderley e Jael. Deivid tem tarimba, é rodado e sempre foi artilheiro por onde passou. Onde estava esse jogador? Acho que nem ele mesmo sabia. O que me pareceu em 2010 e no começo de 2011, é que Deivid era um ex-jogador em atividade, um atacante apático, sem garra e sem vontade, não acompanhava as jogadas e parecia estar fora de sintonia com o restante da equipe.
Até pouco tempo, muitos davam a sua saída no fim do ano como certa. Nem mesmo os gols fazia o atacante cair nas graças da torcida, não havia empatia e um início de namoro parecia pouco provável. Hoje a realidade é outra. Jogador e torcida estão num flerte que pode virar um namoro a qualquer momento. Bom para todas as partes. A cada partida, a cada gol, Deivid ganha o carinho e a confiança que tanto precisa da torcida. E se o atacante quiser mais, terá que ralar mais e mais.
Deivid aos poucos vem escrevendo o seu nome na história do Flamengo em Campeonatos Brasileiros. Com os dois gols do último jogo, Deivid se tornou o quarto maior artilheiro do Flamengo numa mesma edição do Brasileiro com 15 gols. Deivid já ultrapassou Romário (14 gols em 1998) e Petkovic (14 gols em 2000). Se fizer mais um gol, se iguala a Nunes (16 gols em 1981) e pode ainda passar o Imperador Adriano (19 gols em 2009) e o eterno Galinho, Zico (21 gols em 1981). Deivid não é ídolo como Petkovic, Romário, Nunes, Adriano e Zico, mas para ser, só depende dele.
Deivid é um bom profissional! Não falta a treinos, não entra em polêmicas extra-campo, não bebe cerveja na xícara… Nem é popstar e não precisa ser, basta estufar as redes dos adversários. O atacante vem fazendo isso e muito bem. A partida contra o Cruzeiro serviu para coroar a boa fase. Como falei anteriormente, além dos gols, jogou um partidaço. Parece ter encontrado o seu  bom futebol dos tempos de outrora e agora está com confiança e algum crédito com a torcida.
Mesmo sem receber os seus direitos de imagem faz um ano, Deivid vem nos mostrando que isso não pesa para ele. Eu reconheço e claro que a grande parte da torcida também reconhece. Agora, todas as cobranças e as críticas se transformaram em apoio e confiança. Espero ver o nome do Deivid marcado na história do Flamengo como artilheiro e campeão Brasileiro. Torço para que ele continue sendo decisivo no restante do Campeonato. Vamos lá Deivid, nos marque de forma positiva, pois competência todos sabem que você tem!
SRN!!!
Tulio Rodrigues.
Twitter: @poetatulio
Siga-nos no Twitter: @blogserflamengo
Curta nossa fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo
Comentários