É necessário pensar.

O que para muitos infelizmente era esperado, aconteceu. O Corinthians venceu o Flamengo em sua Arena, com um gol de Vágner Love, marcado aos 47 minutos do primeiro tempo. Se por um lado, analisando lance a lance, o time paulista não foi tão superior ao Flamengo, na parte tática, Tite mais uma vez provou ser um dos melhores, senão o melhor técnico brasileiro da atualidade.

Paolo Guerrero jogou, mas ele sozinho jamais vai resolver. Talvez o corinthiano sinta falta de seu ex-atacante. Talvez não, já que Vágner Love está resolvendo, vide hoje. Jonas também jogou, depois de um longo tempo sem “aparecer”. Mas… expulso novamente. O caso de Jonas é talento desperdiçado pela imaturidade. E o caso do Flamengo em si? Nesse momento vou levantar uma questão que merece ser erguida novamente. Talvez você que está lendo já tenha pensado a respeito, talvez não.

Para começar a comparação que vem a seguir, vou pedir que você escolha na sua mente, um jogador que seja fantástico, que ainda jogue futebol e que seja em alto nível. Você escolheu o seu, eu escolhi o Messi. Podemos ter feito a mesma escolha, mas é irrelevante. O que se faz necessário é imaginar o Messi, hoje, insatisfeito com a vida e decidindo parar de jogar ou mesmo não querendo mais jogar o que sabe. Seu clube, o Barcelona, vai sentir, cobrá-lo e questioná-lo sobre seus motivos por estar desanimado e sem render no clube. Para além disso, ele recebe em dia e tem mais 10 anos de carreira pela frente. Pode continuar erguendo taças, batendo recordes e fazendo todas as coisas surreais que vemos. Mas e se por acaso o Messi pensar em parar porque já conquistou tudo que podia/queria, é rico e sua vida já não depende mais daquela bola em seus pés?

Independente do resultado de hoje na Arena em Itaquera, a reflexão que deve ser feita pelos jogadores é essa. Um Messi tem tudo que o futebol podia dar e ainda não é satisfeito, sempre buscando mais. Garanto que se fosse um jogador “normal”, que hoje aos 28 anos ainda busca ser o melhor do mundo, a história seria a mesma. Entrega, empenho e dedicação diários. Pois um dia ele pensa em contar aos filhos sobre tudo que conquistou dentro e fora de campo. Hoje ele pode parar, mas não para porque quer mais.

Sendo assim, porque um Canteros não busca o mesmo? Será que não pensa em atrair olhares para sua seleção? Será que não sonha em jogar na Europa? O mesmo serve para Paulinho, Gabriel e todos os desinteressados que o Flamengo tem em seu elenco. O Flamengo já teve diretorias paupérrimas, com atrasos de salários e uma bagunça financeira sem fim. Talvez se fosse nessa época, a desculpa fosse plausível, mas hoje não cabe. Os salários de um Canteros, Paulinho, Gabriel e etc, são pagos em dia, moram numa das cidades mais deslumbrantes do mundo e tem uma vida que muitos sonham, mas poucos conseguem ter. Isso sem contar o fato de jogarem no Flamengo, com uma visibilidade avassaladora.

O que se passa na cabeça dos rapazes é algo difícil de saber. Não posso falar sobre o que não sei, mas o descompromisso é evidente e a falta de vontade também. Diferente do comportamento dos jogadores do Corinthians. Será que nenhum desses sonha ser ídolo do Flamengo? Essa era uma questão que eu queria levantar aqui no blog, independente do resultado do jogo deste domingo. Espero que possa causar uma sadia discussão a respeito, já que se trata de uma reflexão importante ao Flamengo.

Twitter: @43Germano

Blog Ser Flamengo no Twitter: @BlogSerFlamengo
Página do Blog Ser Flamengo no Facebook: Blog Ser Flamengo
Blog Ser Flamengo no Instagram: instagram.com/blogserflamengo
Blog Ser Flamengo no YouTube: youtube.com/blogserflamengo

Comentários