E o furacão virou ventania mais uma vez!

Para enfrentar o Athletico-PR, hoje, no Maracanã, o Flamengo esperava contar com o retorno do nosso técnico Domènec Torrent, à beira do gramado, mas por conta de sintomas que o treinador começou a sentir da Covid, não foi “ao trabalho” novamente. Infelizmente o mesmo aconteceu com Jordi Guerrero, que comandou o time contra Palmeiras e Independiente Del Valle, no Brasileiro e na Libertadores respectivamente. Dessa forma, Jordi Gris, seu assistente, foi ao campo em seu lugar.

Mantendo a espinha dorsal, campeã de tudo no ano passado e nesse ano, do meio pra frente, e com a base do meio pra trás(com exceção das laterais), o Flamengo fez um duelo tático um tanto brigado no primeiro tempo no Maracanã. Hugo, a grata surpresa do Ninho, teve pequenas falhas na saída de bola que quase comprometeram o seu desempenho e do Flamengo como um todo, mas parecia também contar com a sorte em algumas ocasiões. Dizem que trabalho bem feito é preenchido, “sobrenaturalmente”, com uma dose de sorte, né?!

E na volta ao segundo tempo, vimos o retorno de Everton Ribeiro… da lista dos vários nomes infelizmente infectados com o vírus mortal que assola o mundo, ele foi mais um dos. Entrou na vaga de Vitinho que, infelizmente, fez mais uma partida apagada e na internet viralizou uma imagem em que o jogador chora no banco de reservas. E, apesar de tudo no futebol ser muito volátil às vezes, e o mercado da bola girar em torno de resultados, de números, de feitos concretos, o torcedor do Flamengo que sempre enxergou potencial no rapaz, fica num misto de revolta e tristeza pelo lado humano dele e pelo lado financeiro do Flamengo. O que o clube já deve ter gastado em salários com Vitinho daria pra fazer coisas inimagináveis em prol do Clube de Regatas do Flamengo.

Mas voltando a falar sobre o jogo em si, foi no segundo tempo que o Flamengo resolveu a parada contra o time paranaense. Everton Ribeiro com 1 minuto já mandava uma bola quente para Santos espalmar – era um aviso do que viria nos 45 minutos finais de jogo. Pois aos 56 minutos, após jogada na esquerda, a bola espirra para o alto, Gerson sai da jogada para não resultar em impedimento, Pedro briga pela bola no alto, ganha da marcação, limpa para o pé direito e toca no canto esquerdo de Santos, fazendo 1-0.

Imediatamente após o gol, Bruno Henrique que já dá sinais de “renascimento” após partidas fracas comparadas ao poder ofensivo que ele tem, tenta um passe por elevação na área e sobra uma mão interceptando a jogada. Pênalti, cobrado por ele mesmo, e 2-0.

Aos 67, Renato Kayser desviou de cabeça em cobrança de falta e diminuiu, o que fez com que o Athletico tentasse ressurgir das cinzas onde o Flamengo o enfiou, tendo também a marcação de um pênalti logo em seguida mas que foi anulado pelo VAR.

O Flamengo resolveu o jogo aos 77 minutos, do pé esquerdo de Everton Ribeiro, que bateu de fora da área, contou com o desvio da zaga paranaense e morreu no canto direito do gol de Santos.

Flamengo sob a direção de Domènec Torrent e sua comissão técnica, respira e sobe na tabela. Consegue classificação antecipada para o mata-mata da CONMEBOL Libertadores, tem o retorno de atletas recuperados da Covid e enfim consegue respirar e ter calma para trabalhar e buscar voos mais altos.

Menção honrosa para Gerson, que agora está espetacular, sendo o Coringa que foi em 2019, para a dupla de zaga da nossa base, para o garoto Hugo, para Ramon(lateral esquerdo) que nem parece ser ainda uma cria do Ninho. E por último, mas não menos importante, para a comissão técnica do Dome, que está trabalhando de maneira ótima enquanto nosso técnico permanece enfermo.

 

Foto: Coluna do Fla

___

Por Germano Medeiros (@germanofmedeiros)

+ Siga o Blog Ser Flamengo no Twitter, no Facebook, no Instagram, no YouTube e no Dailymotion.

Ficha técnica da partida:

Flamengo 3 x 1 Athletico-PR – Estádio Jornalista Mário Filho(Maracanã), Rio de Janeiro-RJ, 13ª rodada do Campeonato Brasileiro 2020/21.

Flamengo(4-2-3-1): Hugo; Isla, Noga, Nathan e Filipe Luís(Ramon); Willian Arão e Gerson; Vitinho(Everton Ribeiro), Bruno Henrique(Michael) e Arrascaeta(Diego); Pedro(Lincoln). Técnico: Domènec Torrent.

Athletico-PR(4-3-3): Santos; Leonardo(Wellington), Aguilar, José Ivaldo e Abner; Alvarado(Ravanelli), Richard(Christian) e Lucho González(Erick); Carlos, Jorginho(Walter) e Renato Kayser. Técnico: Eduardo Barros.

Gol(s): Pedro(56′), Bruno Henrique(pênalti aos 59′) e Everton Ribeiro(77′) para o Flamengo; Renato Kayser(67′) para o Athletico-PR.

Cartões amarelos: Noga, Filipe Luís e Bruno Henrique para o Flamengo; Wellington, Richard, Christian e Erick para o Athletico-PR.

Comentários