Eleição do Flamengo 2015: Entrevista com o candidato Cacau Cotta

 Entrevistei ao vivo o candidato a presidente do Flamengo Cacau Cotta via hangout pelo canal do Youtube do Blog Ser Flamengo e contou com a participação dos internautas on line no momento.

Cacau falou dos seus projetos de gestão apresentados no lançamento de sua candidatura no dia 18 de agosto como construção de um estádio próprio para o Flamengo, CT, revitalização da Gávea, reformulação do Sócio torcedor e muito mais!

Para assistir a entrevista completa

Entrevistas que Cacau nos deu quando vice-presidente do Fla-Gávea e de administração em 2012: Entrevista com Cacau Cotta – Vice Presidente do Fla-Gávea e de administração

Saiba mais:

Entrevista  feita por35 @PoetaTulio

Blog Ser Flamengo no Twitter: @BlogSerFlamengo
Página do Blog Ser Flamengo no Facebook: Blog Ser Flamengo
Blog Ser Flamengo no Instagram: instagram.com/blogserflamengo
Blog Ser Flamengo no YouTube: youtube.com/blogserflamengo

Comentários

46 thoughts on “Eleição do Flamengo 2015: Entrevista com o candidato Cacau Cotta

  1. Cacao Cotta , você realmente acha que ser uma espécie de síndico das instalações sociais do clube lhe asseguram experiência e competência para presidir um clube como o Flamengo ?
    Meu caro , me desculpe a sinceradade , mas até o seu português é sofrível .
    E mais , as pessoais que te cercam , na sua grande maioria , são de intelecto muito baixo . Que tipo de contribuições essas pessoas podem oferecer ao Flamengo ? Organizar uma festa junina ou o dia das crianças ? Pare .
    Quando você diz que o ST tem que ser por boleto , que tipo de experiência você tem para afirmar isso ? Meu caro , no primeiro aperto que o sujeito tiver ele não vai pagar . Simples assim . O sujeito com dívidas , com dificuldades para botar alimento em cada , negando dinheiro para a mulher , vai pagar boleto de ST ? Esqueca. Vai pagar um e depois nunca mais . E isso vai servir pra que ? Para dizer que tem 200 mil STs ( 120 mil inadimplentes ) ? Você acha que ainda não fizeram isso porque ? Por querem elitizar o programa ? Ah , para . Isso é papo populista . Aliás , o Flamengo chegou até a fazer uma experiênci com boletos , sendo que o resultado foi um fiasco .
    Meu caro , e outra . Pare de dizer que os bons resultdos financeiros alcançados pela atual gestão são falsos . Você está passando recibo ao afirmar isso . Você não sabe fazer uma leitura de um Balanço , reconheça que fica menos chato .
    Olha , vou te falar uma coisa . Falácia , populismo , mentiras e falsas acusações nunca mais terão vez no Flamengo . O clube mudou , o eleitor está mais consciente e a torcida jamais aceitará que um sujeito desprepatado assuma o clube . Enfim , quem foi , foi . Quem não foi , não serã mais .

  2. O futebol rubro negro está abandonado. Mergulhado em dívidas, o Clube não consegue fazer um planejamento de médio e longo prazos. A dívida do Flamengo com o Consórcio Maracanã está assumindo proporções estratosféricas. Alem de ter celebrado um acordo lesivo aos cofres do clube, Aqueles que estão à frente da instituição, tomaram emprestado algo em torno de R$ 27 milhões em forma de adiantamento. Ou seja, o Clube nada arrecada e paga caro para jogar no estádio que já foi sua principal fonte de receita no passado. O Consórcio virou banco. Falta combinar com o verdadeiro torcedor rubro-negro para que ele também possa abrir uma conta e receber seu talonario de cheques.

  3. Cacau Cotta. Você deixou um legado para o Flamengo como Vice Presidente de Administração. Todos nós sabemos que o o futebol é o carro-chefe do clube. O que você têm como meta para não só os sócios, mas principalmente, os 40 milhões de rubro negros, sejam mais respeitados em termos de ingressos mais baratos, time forte, base sendo formada e sobretudo, mais e melhor aproveitada, como não ocorreu nesta rachada gestão?

    1. Vou lutar para popularizar não somnte a adesão ao programa sócio-torercedor, mas também me empenhar em promover, junto com o Consórcio Maracaná, uma reengenharia no estádio. O Maracanã não é um Santiago Bernabel ou a Arena do Bayer. A cada jogo observo aquele espaço ocioso, vazio porque é caro. Precisamos ampliar o espaço destinado ao torcedor menos afortunado, mas que não pode ficar alijado. Cadê a torcida do Flamengo? Aquele cidadão que ia de geral, que ficava atrás do gol gritando pelo seu time? Vou buscar a ampliação dos ingressos mais baratos, sem esquecer, contudo, de preservar um espaço para o torcedor que pode pagar mais caro porque busca um conforto maior. Nada mais legítimo.

  4. Cacau Cotta, você foi o Vice Presidente mais bem avaliado pelos sócios nos últimos tempos, pelo zelo com que cuidou da Gávea. Trace um comparativo entre seu legado e o que se encontra hoje, e o que projeta para sua gestão à frente do clube.

    1. A Gávea estál literalmente abandonada. O nosso CT em Vargem Grande não recebeu um prego sequer na atual administração. Cadê a receita que eles alegam ter incorporado para promover a modernização do nosso clube? Me dá um profunda tristeza em constatar que a manutençao prometida e as melhorias que os nossos oponentes acenaram durante a campanha em 2012 para a Gávea, não passaram de discurso de campanha. Eu não digo que farei, eu fiz. E tornarei a fazer, caso o nosso associado entenda que mereço essa nova oportunidade.

  5. Como você classifica a gestão do carro chefe do clube, o futebol, onde chegamos ao oitavo técnico contratado em menos de três anos? O que fazer para o Fla voltar a ser Campeão do Mundo, como prometeram e não cumpriram?

    1. A gestão atual peca pelo amadorismo, por sua inexperiência. Trata-se de homens com suas carreiras no mundo corporativo, mas que nunca pisaram num campo de futebol, numa concentraçao, numa arquibanca. Ser mandatário de um clube da importância do Flamengo exige muito mais do que um diploma de MBA pendurado na parede. Desde pequeno meu pai dizia: casa que todo mundo manda, não manda ninguém . Isso vale para o Flamengo atualmente. O tal do Conselho Gestor é um conglomerado de pessoas, que podem até ser bem intencionadas, mas que não se responsabilizam por nada . O sistema de governo do clube é presidencialista. Quem manda é o presidente eleito pelos sócios dos clube. Ele tem de escolher a pessoa certa, com o perfil adequado para assumir a vice presidência de futebol, para cuidar do futebol. Tem de ser um boleiro, não um oportunista, cujo cargo caiu no colo em forma de recompensa por uma eventual ajuda na campanha. Hoje é tudo deslumbrado com visibilidade do cargo. A geração Y, que vai ao Ninho do Urubu e depois corre para as redes sociais para exibir a selfie ao lado do ídolo. Futebol é planejamento. Você esboça uma temporada, escolhe o time e sai em busca dos reforços que o treinador julga necessários. Para isso existe uma coisa chamada planejamento. Quantos treinadores o Flamengo já teve nos últimos anos? Cada vez que se dispensa um técnico, é uma dívida trabalhista acumulada. O técnico ideal não é aquele que está disponível no mercado, conforme ocorreu agora com o retorno do Sr. Oswaldo de Oliveira. O profissional tem de ser escolhido para seguir ao longo da temporada. Além de experiente e vencedor, o profissional precisa se utilizar de métodos que se encaixem com a missão de treinar o Flamengo, um clube de tradiçao, com uma torcida imensa, que se acostumou a ser exigente por sua história, localizado num centro como o Rio de Janeiro. Só assim poderemos voltar a aspirar por novas conquistas, triunfos. O Flamengo está fora do G4 do Brasileirão há quanto tempo? Isso é um absurdo. Nossa trajetória recente mostra que lutamos para não sermos rebaixados. O Flamengo não é isso. Precisamos voltar ao topo com a ajuda das pessoas certas, nos lugares certos..

  6. Cacau Cotta, você concorda com a comissão de 30% que a empresa que administra o Programa Sócio Torcedor cobra do Flamengo? Quais pontos julga necessários serem mudados para que o número de sócios no programa atinja a liderança nacional e seja proporcional ao tamanho da Nação

    1. Prezado Carlos Henrique

      Evidente que esse acordo feito com a empresa que gere o programa é lesivo ao clube. Revela-se um negócio que só interessa a uma das partes, que não é o Flamengo. Isso tem de ser revisto imediatamente. Acordos são feitos para serem cumpridos, mas o clube precisa saber distinguir aquilo que é bom para ele. O Flamengo é um clube popular que está deixando de lado seu maior ativo, que é o torcedor. O Flamengo é um clube popular, o Mais Querido do Brasil, mas está virando as costas para o seu torcedor mais humilde, aquele que não dispõe de cartão de crédito. O Flamengo reúne torcedores de todas as classes sociais, mas historicamente o povo, o trabalhador assalariado, aquele que faz um esforço imenso para poder assistir aos jogos no estádio, está sendo preterido. Como este torcedor vai conseguir se associar ao programa sem cartão de crédito? Além do impedimento do preço alto arbitrado pelo clube, esse torcedor não pode aderir ao sócio-torcedor simplesmente porque ele não tem cartão. Defendo que se procure os dirigentes da Caixa Econômica Federal, que já é nossa parceira importante, para que possamos achar um forma de aproveitar a capilaridade que o banco proporciona. Em qualquer lugar do Brasil, por mais distante, remoto que seja, tem uma agência, uma lotérica da Caixa. Vou lutar para abrir para o torcedor a possibilidade de ele se associar ao sócio-torcedor através de boleto bancário e não somente por meio de cartão de crédito. Esse modelo é excludente, ultrapassado. Pode funcionar bem na Europa: no Barcelona, no Arsenal, no Zenit, no Benfica, mas aqui a nossa realidade é outra, bem distinta. A forma de pagar as mensalidades tem de ser aberta, ampliada. O pagamento das mensalidades e da taxa de desão ao sócio-torcedor tem de ser feito através de depósito identificado em conta ou de pagamento de boleto nas lotéricas. Essa é a nossa proposta aliada ao fomento do programa. Não basta oferecer somente descontos na rede de comércio varejista. O torcedor tem que ser estimulado a aderir ao programa com preço, FACILIDADE para ingressar no estádio. Insisto: o torcedor é o nosso principal ativo. Cabe a nós, dirigentes, estender o tapete vermelho para que ele se junte a imensa massa rubro-negra e contribua com o fortalecimento do clube. Não podemos elogiar um programa que reúne cerca de 70 mil sócios diante de um universo de 40 milhões de pessoas que torcem pelo Flamengo por esse país afora.

Comments are closed.