Eu vi, mas é difícil ver de novo.

Ficha técnica da partida

Escalação do Flamengo: Felipe; Wellington Silva, González, Renato Santos, Ramon; Amaral, Aírton(Ibson), Wellington Bruno(Adryan), Renato; Liédson(Hernane), Vágner Love. Esquema: 4-4-2. Técnico: Dorival Júnior.

Escalação do São Paulo: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Rodholfo, Bruno Cortez; Wellington(Cícero), Denílson, Jadson(William José), Lucas, Osvaldo; Luís Fabiano. Esquema: 4-5-1 Técnico: Ney Franco.

Estádio: Engenhão(RJ). |Público pagante: 16465 |Público presente:21631 |Renda: R$ 239.665,00

Placar: Flamengo 1 x 0 São Paulo. |Gol(s): Marcos González 2º tempo(Flamengo).

Cartões amarelos: Amaral(Flamengo). Wellington, Jadson(São Paulo).

Arbitragem: Leandro Pedro Vuaden. Auxiliares: Altemir Hausmann, Alessandro Álvaro Rocha de Matos.

O fato de eu ter visto esse jogo de hoje, contra o São Paulo, totalmente nulo na função de torcedor, não condiz com a falsa impressão que muitos poderiam ter e dizer que o Flamengo estava jogando mal.

Flamengo jogou contra o São Paulo, como Flamengo. Coisa que dificilmente faz.

Sim, o certo seria fazê-lo sempre. Mas não, eles só o fazem quando acham conveniente.

O melhor jogador da partida, em disparado foi Wellington Silva. Apoiou, tocou, trocou passes, cruzou, finalizou. Fez a parte dele como deve ser feito. O incrível é que, com certeza absoluta, se estivesse em campo Leonardo Moura, não faria 20% do que o Wellington fez hoje.

Falei assim do Wellington porque ele me surpreendeu. Imaginava uma atuação mediana da parte dele. Indo ao ataque, defendendo, mas não jogando tão bem como fez hoje.

Wellington vem adquirindo uma qualidade que o Leonardo Moura vinha perdendo desde 2010: confiança.

Ele é limitado em várias coisas, como cruzamento, finalização, passe, condução da bola; porém se sobressai pela confiança que vem crescendo.

Enfim, falando do jogo, vencemos com gol de Marcos González. Após cruzamento – de bola parada – de Adryan. González sem marcação, cabeceou rápido e rente à trave direita de Rogério Ceni.

Adryan que inclusive entrou bem. Aliás, é um bom jogador. Não falo por vê-lo hoje jogando bem. Falo porque sei do que falo. Vejo o mesmo jogar desde a época dos juniores, lá em 2011. Quando no início do ano foi campeão da Copa São Paulo, juntamente com Negueba, Frauches, Thomás e tantos outros; que hoje fazem parte do elenco profissional do clube.

Tivemos também as ausências de Cléber Santana, Cáceres e Leonardo Moura – já citado.

São Paulo que vinha em arrancada, parou após bater de frente com um Flamengo jogando como Flamengo. Coisa que dificilmente acontece/quando o time vê a corda subindo mais e mais em seu pescoço. Azar do São Paulo!

Sorte do Flamengo? Talvez. Nem diria sorte nem mérito, já que após mais de 10 anos acompanhando o Flamengo, tenho propriedade pra falar sobre o sentimento que recaiu-se sobre mim hoje: desconfiança.

Pra não perder de vista, também é bom falar do pênalti que Felipe defendeu de Luís Fabiano. Uma jogada de Wellington Silva, em que o lateral rubro-negro usou o braço para interceptar a jogada e acabou derrubando Denílson. Luís Fabiano bateu mal e Felipe se garantiu.

São Paulo que não jogou mal, mas foi punido pelo individualismo de alguns. Posse de bola não ganha jogo, mas individualismo também não.

Em relação ao meu sentimento de desconfiança, digo-lhes o motivo.

Cansei de apostar todas fichas disponíveis e indisponíveis neste atual Flamengo e me decepcionar. Me chamem de anti-rubro-negro à vontade. Direito de vocês. Mas a tal da liberdade de expressão existe e hoje faço uso dela.

Lembram do último jogo, contra a Portuguesa? Pois é. Estou dando continuidade a isso. Espero que o Flamengo não demore tanto a me fazer voltar a ser torcedor de verdade de novo.

Twitter: @43Germano

Sigam-nos no Twitter: @BlogSerFlamengo

Curta a nossa Fanpage:
Blog Ser Flamengo

Comentários