Flamengo – Um século de futebol

Para falar dos 100 anos de futebol do Flamengo, algumas coisas devem ser pontuadas, curiosidades que merecem ser esclarecidas. Uma delas é que o Flamengo não nasceu do Fluminense. O Flamengo foi fundado em 1895 e o Fluminense em 1902. Outra curiosidade é sobre o real placar da primeira partida oficial da história do Flamengo. Até pouco tempo, afirmava-se que o resultado era de 16 x 2 Flamengo em partida realizada contra o Mangueira no dia 03 de maio de 1912, no campo do América pelo Campeonato Carioca. O placar real foi de Flamengo 15 x 2 Mangueira.
O Departamento de Futebol foi instituído no Flamengo oficialmente no dia 24 de dezembro de 1911 após Alberto Borgerth, remador do Flamengo e jogador de futebol do Fluminense se desentender com a comissão técnica e a diretoria tricolor. Junto com Alberto Borgerth, vieram jogadores do primeiro, segundo e terceiro time do Fluminense. Na época, o Flamengo não tinha campo. Os jogadores treinavam na Praia do Russel. A caminha da Sede até a Praia era feita a pé e no meio do povo. O que culminava com a popularização do Flamengo na cidade.

O uniforme de futebol do Flamengo era diferente do usado pelos remadores. A camisa era dividida com quatro quadrados pretos e vermelhos, apelidada de “Papagaio de Vintém”. A Camisa foi usada até 1913. Por superstição, o uniforme foi trocado. Como os remadores não queriam que os jogadores de futebol usassem uma camisa igual à deles, foi inserida uma listra branca entre as faixas pretas e vermelhas. A camisa foi logo apelidada de “Cobra Coral”. Com essa camisa, o Flamengo conquistou o primeiro titulo de sua história, o Campeonato Carioca de 1914 e também o Bi em 1915. Com a Primeira Guerra em curso, não era bem visto ter um uniforme com as mesmas cores da bandeira da Alemanha e a camisa acabou sendo abolida. Em 04 de junho de 1916, o Flamengo entrou em campo pela primeira vez com o modelo que é usado até hoje. O Flamengo venceu este jogo por 3 x 1 contra a Associação Atlética São Bento, de São Paulo.

O Flamengo coleciona uma fila de pioneirismo ao longo da história. Por exemplo, a torcida do Flamengo foi a primeira a usar o uniforme fora dos jogos como ir ao trabalho, festas e etc… É também o primeiro time brasileiro a ter uma torcida organizada, a Charanga Rubro-Negra, criada por Jaime de Carvalho, em 11 de outubro de 1942. Quem batizou a torcida foi Ary Barroso. O Flamengo também é o primeiro Clube brasileiro a conquistar a Taça Libertadores depois do Santos de Pelé. É também o primeiro Clube brasileiro a ter um patrocínio na camisa. Colecionando mais um pioneirismo com a torcida, fomos a primeira a criar o hábito de assistir aos jogos nos estádios de pé, hábito criado mais precisamente pela torcida organizada Raça Rubro-Negra. O Flamengo é também o primeiro e único Clube a ceder um jogador estrangeiro para a Seleção Brasileira, o inglês, Sidney Pullen.

Nesses cem anos de futebol, o Flamengo coleciona diversas hegemonias. Uma delas e que mais orgulha todo torcedor, é o fato de sermos a maior torcida do Brasil e quem sabe do mundo. É primeira entre rico, pobre, favelado, descalço, playboy, assalariado, preto, branco, amarelo… É o único carioca Campeão Mundial, titulo que ocorreu em 1981. É o único a conquistar um tricampeonato estadual cinco vezes (1942, 1943 e 1944; 1953, 1954 e 1955 ( O primeiro na era Maracanã); 1978, 1979 e 1979 (especial); 1999, 2000 e 2001 e 2007, 2008 e 2009). O Flamengo sustenta também a superioridade nos confrontos diretos contra os três maiores rivais regionais (Botafogo, Fluminense e Vasco). É o que tem o maior número de campeonatos regionais com 32 títulos. É o primeiro Penta Campeão Brasileiro e junto com o São Paulo, ostenta a hegemonia nacional de títulos brasileiros com seis cada. É do Flamengo também o maior artilheiro do Maracanã, Zico com 333 gols marcados no maior estádio do mundo.

O Flamengo tem uma infinita lista de ídolos não só do Clube como do futebol nacional. Em nossa galeria temos nada menos que Domingos da Guia, considerado o maior zagueiro do futebol brasileiro e porque não mundial. Leônidas da Silva, o inventor da “Bicicleta” e dono da melhor média de gols entre os goleadores do Flamengo. Leônidas marcou nada menos que 153 gols em 149 jogos. Zizinho, que para muitos da época, foi melhor que Pelé e não a toa é o ídolo do Rei do futebol. Tem também Zico, o maior ídolo de todos os tempos do Flamengo, Valido, Zagallo, Evaristo, Dida, Joel, Junior, Henrique, Adílio, Nunes… Quer mais? Leandro, o maior lateral direito da história do Flamengo e do futebol brasileiro. Tem também Andrade, Renato Gaúcho, Romário e os mais recentes como Petkovic e Adriano. Claro que faltam vários outros, mas se eu por todos, o texto não terá fim. Visitem a nossa página de ídolos.

O Flamengo também coleciona uma infinidade de jogos históricos. O primeiro, eu já mencionei, foi à goleada sobre o Mangueira no primeiro jogo oficial de sua história. Tem também o empate contra o São Cristovão em 4 x 4 em 1914, jogo que nos deu o primeiro título de nossa história, o Campeonato Carioca. Tem também o inesquecível jogo contra o Vasco em 1944 pelo Campeonato Carioca. O gol de Valido aos 41 minutos do segundo tempo deu ao Flamengo o primeiro tricampeonato carioca de sua história. Há também o épico 0 x 0 contra o Fluminense em 1963, no Maracanã, jogo que é o de maior público entre no Brasil. 177.020 pessoas pagaram ingresso e 194. 603 pessoas estiveram presentes no Maracanã. Esses são só alguns de outro tantos grandes jogos da história do Flamengo.

Na história do futebol do Flamengo, há também treinadores que fizeram história não só no Clube como na Seleção Brasileira. Alguns deles são Flávio Costa, Fleitas Solich, Joubert, técnico que efetivou Zico como titular, Cláudio Coutinho, responsável por montar a base da geração de ouro do Flamengo na década de 1980, além de Carlinhos, Carpegiane e Zagallo.

Aqui foi só um resumo desses importantes cem anos de futebol do Flamengo. História impregnada de superação, raça, amor, doação, paixão… História não só marcante por vitórias, mas sim por uma mística que não abandona o Flamengo nem nos momentos difíceis, um amor infinito que empurra o Flamengo onde ele estiver, paixão que começa na arquibancada e não tem fim nunca! Como diz o segundo hino composto por Lamartine Babo em 1945: “EU TERIA UM DESGOSTO PROFUNDO SE FALTASSE O FLAMENGO”.

Tulio Rodrigues.
 
Fontes de pesquisa: “O time do meu coração” de Carlos Eduardo Mansur e Luciano Cordeiro Monteiro.
Site oficial do Flamengo: www.flamengo.com.br
 
 
 
Twitter: @poetatulio
Sigam-nos no Twitter: @blogserflamengo
Curta a nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo
Comentários

No Comments

Leave a Comment