Foi-se o carnaval, vieram os três pontos.

Não fosse o fator lucidez-de-segundo-tempo de Cristóvão Borges, mais uma vez o Flamengo sairia derrotado do Serra Dourada. O Goiás não foi soberano, longe disso. Era a mesma bagunça tática do Flamengo. Toques para os lados, lançamentos forçados e a bola parando aos pés dos goleiros. Os mandantes começaram a realmente mandar no jogo quando descobriram a Avenida Ayrton, situada na lateral direita do Flamengo. Ayrton subia ao ataque, cobrava escanteios e só. Na parte defensiva, era um carnaval, assim como foi contra o Corinthians no Maracanã. Foi por ali que o Goiás teve suas melhores chances e fez César trabalhar bastante. Marcelo? A mesma inconstância rotineira. E hoje fazendo dupla de zaga com o novato Cesar Martins, que não foi bem nem mal.

O segundo tempo do jogo viria para as correções. Pará na lateral direita, Alan Patrick na vaga de Canteros no meio, organização tática, saindo do 4-3-3 que estava se mostrando obsoleto e tenebroso e indo ao 4-4-2, com Everton recuando ao meio e liberando Marcelo Cirino para fazer dupla com Paolo Guerrero. Este que, vide a partida ante o Internacional em Porto Alegre, mais uma vez foi garçom. Aos 26 minutos do segundo tempo, Alan Patrick passa-lhe a bola. Guerrero acha Cirino entre três marcadores e o deixa livre para abrir o placar no Serra Dourada e tranquilizar Cristóvão Borges, que deve agradecer muito a César por não tornar sua semana um pesadelo, por mais um erro de formação no time.

Paulo Victor, Jonas e Emerson Sheik. No seu ponto de vista, os três estão fazendo falta ao Flamengo na questão da confiança e solidez do time? Para mim, talvez Jonas não faça tanta falta, embora seja aplicadíssimo defensivamente. Tanto que toma muitos cartões, algo que deve ser corrigido e por isso eu não considere o Flamengo tão dependente dele.

Emerson hoje não jogou por suspensão. Retornará na próxima rodada com sua titularidade garantida por sua importância em grau ímpar para o time. Paulo Victor também retorna após um tempo parado e vê César crescer no gol a cada jogo. O Goiás foi o terceiro adversário que não conseguiu marcar contra o Flamengo e isso pode pesar numa possível ida de Paulo Victor ao banco de suplentes.

Contudo, o mais importante: duas vitórias consecutivas. O retrospecto é melhor longe do Rio de Janeiro, onde o Flamengo ainda vive dias de luta, antes das glórias. Jogadores a retornar e Ederson, novo meio-campo, com uma certa expectativa em cima dele, deverá estrear contra o Santos no próximo fim de semana. É aguardar e torcer para que vejamos menos vezes os atacantes tendo que voltar ao meio para buscar jogo e o time enfim tenha um padrão definido. Claro, isso não depende exatamente de um reforço, mas é essencial.

Ficha técnica

Goiás 0 x 1 Flamengo

Campeonato Brasileiro, 15ª rodada

Local: Estádio Serra Dourada, Goiânia, Goiás

Data: 26 de julho de 2015 (domingo)

Árbitro: Heber Roberto Lopes

Assistentes: Kleber Lucio Gil e Carlos Berkenbrock

Cartões amarelos: Diogo Barbosa e Carlos(Goiás); Paolo Guerrero(Flamengo)

Goiás: Renan; Gimenez, Felipe Macedo, Fred e Diogo; Rodrigo, Patrick, David e Felipe Menezes; Murilo e Bruno Henrique. Técnico: Julinho Camargo.

Flamengo: César; Ayrton, Marcelo, Cesar Martins e Jorge; Cáceres, Márcio Araújo e Canteros; Marcelo Cirino, Éverton e Paolo Guerrero. Técnico: Cristóvão Borges.

Twitter: @43Germano

Blog Ser Flamengo no Twitter: @BlogSerFlamengo
Página do Blog Ser Flamengo no Facebook: Blog Ser Flamengo
Blog Ser Flamengo no Instagram: instagram.com/blogserflamengo
Blog Ser Flamengo no YouTube: youtube.com/blogserflamengo

Comentários