Grupo político pede reversão de demissões de funcionários do Fla e mostra contradição da diretoria na crise

Segundo reportagem do Globo Esporte, o Flamengo iniciou nesta quinta (30), uma onda de demissões em massa de funcionários. O total pode chegar a 62. O grupo político Flamengo da Gente, divulgou nota pedindo que fosse revertida as demissões e mostrou a contradição da direção em comunicado enviado aos sócios.

Em sua manifestação no Twitter, o Flamengo da Gente divulgou o aviso da diretoria no balanço patrimonial, auditado pela Ernst & Young em que o clube fez um “teste de stress” e que projetando um cenário de 3 meses sem jogos, a conclusão foi que os impactos financeiros eram absorvíveis. Continuando em seu posicionamento, o grupo político lembrou que nesta quinta, se completa 46 dias de paralisação do futebol no brasil e lembrou também que mesmo com a sede social fechada, os sócios não tiveram redução na cobrança de mensalidades.

As primeiras demissões são de funcionários do baixo escalão: recepcionista, funcionários do alojamento da base, motorista, roupeiros, fisiologistas da base, técnico do sub-20, analistas de mercado além de profissionais dos times de futsal.

A matéria do Globo Esporte traz que a folha salarial entre Gávea e funcionários do departamento de futebol é de menos de R$ 3 milhões. Custo cinco vezes menor com os jogadores entre recebível na carteira e direitos de imagem. O Flamengo ainda não sinalizou se negociará a redução com os atletas do futebol profissional.

LEIA MAIS:

Confira o comunicado completo do Flamengo a Gente:

Informações da imprensa dão conta de que o Flamengo está demitindo cerca de 60 funcionários. As demissões chegam na véspera do Dia do Trabalho e no dia final para que os conselheiros do clube aprovem as contas de 2019.

Na página 74 do balanço patrimonial, auditado pela Ernst & Young, o clube incluiu a seguinte mensagem sobre o coronavírus:

 

 

 

 

Hoje, completam-se 46 dias desde que o futebol foi paralisado no Brasil, cerca de metade do período no qual o Flamengo informou a seus sócios – que não tiveram qualquer redução na cobrança de mensalidades, apesar do clube permanecer fechado que não haveria maiores impactos financeiros. Agora, causa um impacto financeiro absoluto nas vidas de dezenas de funcionários.

O Flamengo da Gente condena as demissões e urge o clube a revertê-las e buscar soluções alternativas para lidar com os prejuízos causados pelo coronavírus“.

Foto: Flamengo/Divulgação

Por Tulio Rodrigues (@PoetaTulio)

+ Siga o Blog Ser Flamengo no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Dailymotion

Comentários