Guerrero caçado e decisivo.

Passado o temor da última quarta-feira – no Pernambuco, pela Copa do Brasil, onde o Flamengo jogou com um meio acéfalo -, a tarefa que tinha o Flamengo hoje no Maracanã, era maior do que ver Paolo Guerrero jogando pela primeira vez com a camisa do Flamengo no local. Cristóvão Borges que perdeu Jonas contra o Náutico, tinha a dupla missão de frear o Grêmio no Maracanã e montar um esquema ofensivo para enfim somar 3 pontos, que não vinham desde a Chapecoense.

Para isso, Cristóvão colocou Márcio Araújo na vaga de Jonas e trouxe Everton para o meio, dando a vaga na ponta direita para Marcelo Cirino. O que se viu foi um Flamengo ainda dependente de Guerrero, porém mais ofensivo, com Everton e Canteros voltando a aparecer no jogo.

Márcio Araújo não sofreu tanto pelo meio, já que o Grêmio abusava da posse de bola e suas tentativas se deram pela direita com Rafael Galhardo. Talvez na jogada de maior perigo do Grêmio no jogo, o próprio Galhardo tabelou nas costas de Wallace e mandou no travessão de César. Cristóvão percebeu o erro e pôs Cirino pra marcar as subidas do lateral.

Com a falha corrigida, o Flamengo voltou a dominar. E o momento que time e torcida tanto esperavam, aconteceu aos 40 minutos do primeiro tempo. Falta na direita e Ayrton na cobrança. A bola viajou, bate-rebate na área e Paolo Guerrero de canhota, de forma sutil, colocou a bola no fundo do gol de Marcelo Grohe.

No retorno ao segundo tempo, Marcelo Cirino teve de ser substituído para a entrada de Arthur Maia. A partir daquele momento, o Flamengo passou a jogar no 4-4-2 com Arthur Maia e Everton dividindo a tarefa de articuladores, para servir Emerson Sheik e Paolo Guerrero. Mesmo aos 36 anos e no segundo tempo de mais um jogo, lá estava Emerson marcando pressão na saída de bola do Grêmio. Numa delas, Rhodolfo deixou para Marcelo Grohe, o goleiro esperou a bola entrar na área, Emerson mais atento passou por ambos e tocou para o gol, mas Rhodolfo voltou a tempo e tirou em cima da linha, evitando o segundo gol do Flamengo.

Enquanto o Flamengo jogava e, mesmo com suas limitações no meio-campo, conseguia servir Emerson e Guerrero, o Grêmio batia. O mais caçado foi o peruano e não era pra menos.

Após o apito de Ricardo Marques Ribeiro, o Flamengo enfim voltou a vencer no Maracanã, foi aos 16 pontos e enquanto aguarda a possível chegada de um meia para acalmar a maior deficiência do time há muito tempo, Cristóvão vai com as peças que dispõe. Emerson e Guerrero formam um ataque dos sonhos para qualquer time brasileiro, isso é bem verdade. Mas é necessário pensar na divisão de responsabilidades. O torcedor lembra o que houve com Gabriel em 2014. Depois de um fraco início em 2013, quando foi contratado, viu Paulinho se lesionar e passou a jogar muito. Marcelo Cirino pode caminhar na mesma estrada e enfim, sem tanta responsabilidade, mostrar o futebol que o consagrou no Atlético-PR.

Ficha técnica

Flamengo 1 x 0 Grêmio

Campeonato Brasileiro, 14ª rodada

Local: Estádio Maracanã, Rio de Janeiro

Data: 18 de julho de 2015 (sábado)

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro

Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago e Guilherme Dias Camilo

Cartões amarelos: Emerson Sheik(Flamengo); Marcelo Grohe, Pedro Geromel, Marcelo Hermes, Maicon e Pedro Rocha(Grêmio)

Flamengo: César; Ayrton, Marcelo, Wallace e Jorge; Márcio Araújo, Canteros e Everton; Marcelo Cirino, Emerson Sheik e Paolo Guerrero. Técnico: Cristóvão Borges.

Grêmio: Marcelo Grohe; Galhardo, Pedro Geromel, Rhodolfo e Marcelo Hermes; Maicon, Walace, Giuliano e Douglas; Pedro Rocha e Luan. Técnico: Roger Machado.

Twitter: @43Germano

Blog Ser Flamengo no Twitter: @BlogSerFlamengo
Página do Blog Ser Flamengo no Facebook: Blog Ser Flamengo
Blog Ser Flamengo no Instagram: instagram.com/blogserflamengo
Blog Ser Flamengo no YouTube: youtube.com/blogserflamengo

Comentários