Incerteza!

Ficha técnica da partida:

Escalação do São Paulo: Rogério Ceni; Rodrigo Caio, João Felipe, Rafael Toloi, Rhodolfo, Bruno Cortez; Denilson, Maicon, Jadson; Ademilson, Luís Fabiano. Esquema: 3-5-2. Técnico: Ney Franco.

Escalação do Flamengo: Paulo Victor; Léo Moura, González, Welinton, Ramon; Aírton, Luís Antônio, Ibson, Camacho; Adryan, Love. Esquema: 4-4-2. Técnico: Dorival Júnior.

Placar: São Paulo 4 x 1 Flamengo.

Local: Morumbi.


Gol(s): Maicon 41’ 1º tempo, Luís Fabiano 46’ 1º tempo/14’ 2º tempo, Jádson 47’ 2º tempo(São Paulo). Ramon 21’ 2º tempo.

Cartões amarelos: Rodrigo Caio, Luís Fabiano(São Paulo). Ramon(Flamengo).

Arbitragem: Jaílson Macedo Freitas. Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha Matos, Adaílton José de Jesus Silva.

Quinta-feira passada, Dorival saiu do Engenhão, após assistir ao melancólico empate em 0 a 0 contra a Portuguesa, sabendo que não teria e não terá trabalho fácil daqui pra frente. O jogo de hoje, foi apenas mais uma demonstração disso. Antes do jogo o clima era de tranqüilidade, ou certa tranqüilidade. Aparentava para um jogo difícil, mas com um Flamengo pra frente e bem. Sem se esconder no velho pragmatismo do Joel. Enfim, esqueçamos ele!

Dorival mais uma vez errou ao por Adryan como atacante. A posição correta do garoto é o meio-campo. Ali, de frente pros zagueiros e com a bola dominada é o diferencial dele.

Camacho foi escalado como homem de ligação no meio-campo. Mas na prática, não conseguiu desempenhar bem seu papel. Tanto é que o Flamengo durante toda a primeira etapa, não teve uma finalização a gol. Nada! Praticamente, Rogério Ceni só precisou de trabalho quando era acionado para receber uma bola recuada pelo próprio time.

Já o São Paulo, com méritos, conseguiu abrir o placar. Em jogada de Rodrigo Caio, Maicon recebe de frente pro gol. E sem perder tempo, para a bola, rola e bate com sutileza. A bola viaja devagar e vai parar no canto direito de Paulo Victor.

O Flamengo tentava se acertar. Tocava a bola, tentava jogadas agudas, mas sem sucesso. Adryan não conseguia jogar. Love, segue na má-fase. No São Paulo, Ademilson infernizou a zaga do Flamengo. Jogador veloz e ágil, que facilmente, em diversas jogadas, deixou a zaga atônita.

Luís Fabiano não foi aquele jogador de mostrar o que sabe o jogo inteiro, mas tratou de fazer o que mais sabe: Gols.

Escanteio para a área do Flamengo, Paulo Victor saiu mal; o marcador não conseguiu acompanhar Luís Fabiano, que só não marcou de cabeça porque Paulo Victor tirou com o pé.

Em seguida, nova bola pra área. Mais uma vez, Paulo Victor sai mal do gol. Só que dessa vez, Luís Fabiano soube cabecear e marcar o segundo. Foi o primeiro dele, com a camisa do São Paulo contra o Flamengo, desde o seu retorno da Europa.

No fim do primeiro tempo, Aírton disputando jogada com Ademilson, machucou-se. No exato momento em que caiu, pediu substituição. Amaral entrou e o primeiro tempo terminou.

No retorno pro segundo tempo, Adryan e Camacho saíram para as entradas de Bottinelli e Thomás. Uma tentativa, a última cartada de Dorival pra tentar ao menos empatar o jogo.

Thomás, mais uma vez, até fez boa partida, só que, sozinho ele não resolve. Bottinelli mais uma vez, foi bem abaixo do esperado.

O São Paulo não se tranqüilizou e foi pra cima pra buscar resolver de uma vez o jogo. E conseguiu ampliar o placar. Em uma ótima troca de passes: Ademilson para Maicon, para Cortez que cruzou na medida pra Luís Fabiano marcar o segundo dele na partida; o terceiro do São Paulo no jogo.

O Flamengo então partiu pro desespero. E em jogada insistente pela direita e pelo meio, a bola sobra para Ramon, que com calma, achou espaço no meio de quase 4 jogadores do São Paulo, pra mandar pra rede e dar um fio de esperança à torcida e ao time.

No meio desse baile do São Paulo sobre o Flamengo, ainda sobrou tempo para uma cena, um tanto curiosa. Coisa rara no futebol!

Rodrigo Caio foi substituído por João Schmidt, mas esqueceu de sair. Apenas o fez quando Dorival comunicou ao árbitro, que percebeu o erro do jogador e o advertiu com cartão amarelo.

Mas a farra do São Paulo ainda não havia acabado. Ainda sobrou tempo para aos 48, Jádson receber livre na cara de Paulo Victor e tocar de bico com efeito pro fundo do gol.

Rogério Ceni, ao fim do jogo fez festa. E o Flamengo que nada tem a comemorar, está com essa incerteza no ar!

Twitter: @Poetatulio
Sigam-nos no Twitter: @BlogSerFlamengo
Curta a nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo
Comentários

No Comments

Leave a Comment