Inesquecível 27 de maio de 2001

Eu tinha 16 anos na época e já tinha visto o Flamengo campeão algumas vezes, mas como em 2001, jamais! Lembro-me que no dia do segundo jogo, havia dois vascaínos que iriam assistir ao jogo com a maioria de Flamenguistas,  claro! Churrasco, rivais otimistas, pois tinham uma vantagem de dois gols para  serem campeões. O time dos caras era muito bom.

O Flamengo entrou em campo e contava com a minha confiança, sempre fui um torcedor fanático pelo Flamengo, apaixonado… Não dá para explicar. Não sei, mas algo me parecia que iria acontecer de positivo naquela tarde para nós, Rubro-Negros. O que sempre buscava, era sentir as emoções dos grandes tempos áureos do time da década de 80 de Zico e Cia. Apesar de o Vasco ter na época um super time, no primeiro jogo os dois gols deles foram de bola parada. Um de penalti, convertido pelo Viola e outro de falta, em que Juninho Paulista contou com o desvio da barreira para enganar Júlio César.

Lances do primeiro jogo da Final


No segundo jogo, o Flamengo entrou em campo de mãos dadas como a Seleção tetra-campeã de 94; ano em que comecei a acompanhar o futebol e o Flamengo. Só aí, a emoção já ía à flor da pele; Maracanã lotado, torcida inflamada empurrando o time e fazendo uma linda festa como sempre.

O jogoestava muito tenso e aos 23 do primeiro tempo, pênalti para o Fla e Edilson faz 1 x 0. Faltava mais um gol, mas ao 40 minutos, em grande bobeira da zaga do Fla, Juninho Paulista empata a partida. O Fla volta a estaca zero. Continuava a depender de mais dois gols para ser campeão. Aos 8 do segundo tempo, Pet faz uma belíssima jogada pela esquerda e bota a bola na cabeça de Edilson. Fla 2 x 1. Faltava mais um gol. Aos 42 minutos do segundo tempo, Fabiano Eller faz falta em Edilson da intermediária da Área. Um pouco distante, é verdade, mas quem se apresentou para bater a falta foi Pet. Lembro da vibração da torcida tremulando as mãos para passar enegria positiva, o que eu e meus companheiros Rubro-negros passamos a fazer. Aos 43, Pet corre pra bola e bate… A bola faz uma curva incrível e ainda toca na ponta dos dedos do goleiro Helton. Bola no ângulo, Fla 3 x 1 e a insquecível comemoração do Pet se jogando no gramado e sendo tomado pelos outros jogadores.

Entrei em êxtase, era como se estivesse revivendo o que outros torcedores na década de 80 viveram. Fizemos festa, foi inesquecível. A torcida entoando o canto de “Vice de novo”, a imagem do Zagalo, a torcida… Enfim…Mágico!!!!!!!!!!!!!!
 
Lances do segundo jogo da final
Está na história esse gol do Pet. Insquecível, genial… Obrigado Pet! Concerteza, você é, depois do Zico, um dos maiores ídolos dessa Nação que lhe acolheu de corpo e alma.
O Pet se despediu esse ano dos gramados com a camisa do Flamengo (tema para outra postagem),  mas estará eternizado na galeria dos grandes ídolos que a nação acolhe e guarda no coração. Abaixo um documentário produzido pela Globo.com em homenagem aos 10 anos desse gol histórico do Pet. Sempre que revejo esse gol, a emoção que sinto é a mesma de quando vejo o gol histórico do Rondinelli, o Deus da Raça, contra o mesmo Vasco em 78, olha que eu nem sonhava nascer e o gol de Ronaldo Angelim contra o Grêmio em 2009 quando o Flamengo foi Hexacampeão brasileiro. Obrigado Pet!!!!!!!!!!!

Sites de consulta: Site oficial do Flamengo, Flapédia, Globo.com (Pet 10 anos), Vídeos (Youtube)

Twitter: @PoetaTulio

Sigam-nos no Twitter: @BlogSerFlamengo

Curta a nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo

Comentários