Mais uma pra acalmar

Dois jogos, duas vitórias. E enfim Jorginho parece dar mostras de ter achado o feto de seu time pro Flamengo.
O Flamengo não conseguiu a classificação no primeiro jogo em Belém, no Pará. E com isso teve de ‘convidar’ o Remo pro Rio de Janeiro – mais precisamente a Volta Redonda – para resolverem suas vidas na Copa do Brasil.
Mas não teve dificuldades! O Remo tentou se fechar e apostar nos contra-ataques. No começo imprimiu uma tímida pressão, mas nada que fizesse o Flamengo abalar-se.
A zaga enfim acertando as coisas; Renato Santos e Gonzáles não tiveram trabalho para segurar o Remo; as laterais funcionaram bem, não fosse a infeliz contusão de Ramon numa dividida com um jogador do Remo(foi substituído por João Paulo); os volantes parecem chegar a um acerto – Elias e Amaral vem jogando bem e sem dificuldades; Rafinha e Gabriel são o fio condutor nas pontas para Renato, que no meio, tem comandado as ações da linha de frente formada apenas por Hernane. Que após a bronca de Jorginho no treino, vem fazendo bem seu papel de atacante.
O time tem adquirido uma característica que eu gosto de ver em qualquer time de futebol que seja arrumado: a posse de bola e a saída incisiva ao ataque.
A bola tem passado de pé em pé e sendo trabalhada com calma por todo o time, que não se esconde.
Se eu pudesse dar um conselho ao Jorginho, eu diria para não mexer na defesa e testar mais opções do meio pra frente. Ele terá um jogo contra o Resende, no próximo fim de semana pelo Carioca – que não vale mais nada – e pelo menos 1 mês e 5 dias até a estreia no Brasileiro, contra o Santos. Tempo ele terá de sobra, resta saber se vai fazer igual ou diferente a Joel Santana ano passado.
Primeiro gol do Flamengo no jogo saiu do pé de Hernane. Após receber passe do meio, Rafinha entra na área, vê Hernane chegando e toca pro atacante empurrar pro gol. A dupla vem se entendendo desde o início da Taça Guanabara, quando o Flamengo fez uma campanha arrasadora e infelizmente parou no Botafogo na semifinal.
Foi-se o primeiro tempo, veio o segundo e nada mudou. Exceto o excesso de vontade dos jogadores do Remo em determinadas jogadas – desnecessário.
Veio o segundo tempo e o segundo gol. Mais uma vez Hernane. Desta vez quem apareceu na área foi Gabriel, que centrou pra Hernane ao seu lado, a bola resvalou e sobrou no pé direito e que foi mortal pro goleiro do Remo. Gol pra tranquilizar ainda mais o time e principalmente os ‘imediatistas’. Falando em ‘imediatismo’, nosso presidente Eduardo Bandeira de Mello estava ontem no Raulino de Oliveira e viu o jogo, ao lado de – possivelmente – sócios-torcedores. Só espero que não tenham perdido seu tempo cobrando o presidente por reforços.
Remo bagunçado, quase perdendo a cabeça. Flamengo arrumado e querendo fazer mais e mais.
E viria o terceiro e último gol. Saída errada de bola do Remo, que Luís Antônio roubou a bola e bateu pro gol. O goleiro espalmou na frente de Hernane, que pegou de primeira e mandou no ângulo.
Foi nesse momento que veio – pelo menos na TV – a informação de que o Campinense venceu o Sampaio Corrêa no tempo normal, foi pros pênaltis e por 7 a 6 venceu de novo, e classificou-se.
A notícia foi a melhor que os Paraibanos poderiam receber na noite de ontem. Não só pros torcedores do Campinense, como pra gente como eu, que torce, que ama o Flamengo, e vai poder ver o Flamengo de perto. No meu caso, será a primeira vez na vida que entro num estádio pra assistir o Flamengo jogar.
Em Volta Redonda, tudo certo. Vitória por 3 a 0, pra torcida ‘imediatista’ conter um pouco a pilha de nervos e deixar diretoria e técnico trabalharem. E pro time saber que tem potencial e pode fazer melhor daqui pra frente.
Que venha o Macaé, e vamos tentar fechar esse Campeonato Carioca com a dignidade rubro-negra, fechar com mais uma boa vitória e com um sorriso estampado no rosto.
Twitter: @43Germano
Sigam-nos no Twitter: @BlogSerFlamengo
Curta a nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo
Comentários