Márcio Braga conta como o Flamengo foi o primeiro clube no brasil a cobrar por royalties na venda de camisas

Nesta semana, estreamos o “Baú Ser Flamengo” com uma entrevista do ex-presidente, Márcio Braga. Com muitas histórias e curiosidades, o bate-papo traz uma curiosidade: O Flamengo foi o primeiro clube no Brasil a cobrar royalties na venda de camisas.

Eu me lembro bem o dia em que começamos a policiar a marca do Flamengo. Elsa Maria, minha primeira mulher, redesenhou esse CRF, rompemos o contrato com a Adidas e fizemos um contrato com a Hering. Pela primeira vez no futebol brasileiro, um clube exigiu participação na forma de royalties na venda das camisas. Nós crescemos tanto que a Hering não suportou e voltamos para Adidas e tivemos uma parceria muito exitosa —, disse Márcio na entrevista.

Ouça a entrevista completa:

Elsa Braga foi quem redesenhou o “CRF” e os uniformes número 1 e 2, em 1980. Foi ela que criou o Manto Sagrado com listras grosas e a emblemática camisa branca do mundial de 1981. Com o primeiro, o Fla conquistou a Libertadores e o Mundial com o segundo.


Você também pode acompanhar essa e as outras entrevistas no formato podcast pelo nosso SpotifyDeezerAmazoniTunesGoogle PodcastsCastbox e Anchor.


Além de mais bonito, este uniforme facilitará a identificação dos números, principalmente o uniforme número dois, já que as listras foram deslocadas para as mangas e não se confundirão com os números —, disse Elsa ao Jornal do Brasil na época.

Os modelos se tornaram históricos e foram reeditados ao longo da história por diversas fornecedoras. O monograma “CRF” só sofreu alterações em 2018, quando o clube resolveu redesenhar os escudos do futebol e do remo. O trabalho foi feito pelo designer, Fábio Lopez.

Ouça a entrevista completa no Youtube:

Foto: Gil Pinheiro/Manchete Esportiva.

Por Tulio Rodrigues (@PoetaTulio)

+ Siga o Blog Ser Flamengo no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Dailymotion

Comentários