Mordaça e conivência! Flamengo aperta embaixadas, mas faz ‘vista grossa’ em determinados regimentos

Como revelamos com exclusividade, o Flamengo fez com que as embaixadas e consulados assinassem um novo “Regulamento interno” e “Código de ética e conduta”, em 2020 e caso qualquer uma delas queira utilizar a marca do clube em seus produtos, além de uma autorização prévia, terão que repassar royalties.

Eu não estou entendendo o que a gente está violentando alguém, não estamos. O que estou tentando fazer é o certo. Estou tentando o seguinte: fazer um produto oficial, que vocês vão botar mais royalties para o Flamengo”, disse o vice-presidente, Maurício Gomes de Mattos em reunião com dissidentes. As penalidades por descumprimento vão desde a suspensões que podem chegar a 30 dias, como a exclusão da embaixada ou consulado.

Além do desagrado por parte de embaixadores e cônsules com esses artigos, outros ganharam atenção, que é o fato de não poderem ter qualquer confronto, atrito e até mesmo de fazer publicação irônica sobre os dirigentes nas redes sociais, isso no “Regimento interno”. Além disso, proíbe a crítica a jogadores, funcionários ou superiores. No “Código de conduta”, se proíbe as mesmas manifestações, mas sem ser claro de como e onde isso não pode acontecer. Não há muitos detalhes nos artigos. Essas são uma das obrigações e dos deveres das embaixadas e consulados.


Você também pode nos acompanhar no formato podcast pelo nosso SpotifyDeezerAmazoniTunesGoogle PodcastsCastbox e Anchor.


No capítulo III do regimento interno: “É vedado participar de polêmica ou crítica envolvendo o nome do FLAMENGO, dos jogadores, patrocinadores e seus superiores hierárquicos ou funcionários do clube”.

Já no capítulo V, Art. 8º, do mesmo instrumento, diz: “Fica terminantemente proibido, para qualquer EMBAIXADA ou CONSULADO”: “Ter qualquer tipo de confronto ou publicação agressiva, desrespeitosa ou irônica em redes sociais que denigram a imagem do Clube de Regatas do Flamengo ou de membros da gestão”. E no código de conduta, nos princípios e diretrizes: “É vedado o constrangimento e atrito com os dirigentes do CRF e membros das embaixadas/consulados”.

Regimento interno das embaixadas e consulados. Imagem: Reprodução

Em 2019, o Conselho Deliberativo junto com a direção do clube tentaram algo parecido com os sócios. A emenda que queriam aprovar no estatuto ficou conhecida como a “Lei da mordaça” e até o ex-presidente, Hélio Ferraz foi contra a medida. Além de não considerar a proposta transparente, disse que o Flamengo é sinônimo de democracia e que internamente, deve ser receptivo às críticas.

A medida, por outro lado, parece, em primeiro olhar, na contramão da busca pela transparência. Ademais, sou a favor de um ambiente interno aberto e receptivo à crítica. Tratei assim meus críticos quando Presidente. Penso que é uma ferramenta do administrador. O Flamengo é sinônimo de democracia, social, étnica, ideológica e política. Futebol é isso. Opiniões acaloradas e extremadas. O nosso produto é a PAIXÃO. Ela é, sempre, candente, contra e a favor“, disse ao blog da Gabriela Moreira.

Como já publicamos, as embaixadas e consulados foram pressionados a assinarem os documentos sob pena de serem excluídos do programa. É quase um consenso entre os cônsules e embaixadores que o Flamengo lhes dá mais deveres que direitos, mas o medo de retaliação, ainda mais depois do que aconteceu com a Fla-USA New England, após se desligarem, é grande.

Porém, nem tudo é fiscalizado com rigor pela vice-presidência de embaixadas e consulados. Já que há uma dificuldade na questão de cadastro e de pagamento para ser sócio-torcedor a quem reside fora do Brasil (5 sócios-torcedores ativos para ser consulado e 30 para ser embaixada), não há o cumprimento desse requisito. Como já informamos, a pasta está para resolver tais pendências de inscrição e pagamentos.

As embaixadas e consulados também devem se manter neutras em assuntos que fogem aos aspectos de suas atividades junto com o clube nas redes sociais, mas há quem use os seus perfis oficiais para manifestações, opiniões e debates políticos. É o caso da Fla-Sampa. No Twitter, é possível ver posicionamentos políticos. No código de conduta, informa que denúncias deverão ser formalizadas ao SAC, localizado no canal de comunicação disponibilizado no portal das Embaixadas e Consulados. No espaço destinado ao projeto no site oficial, não está disponível.



Posts da Fla-Sampa no Twitter sobre assuntos políticos

Entramos em contato com o vice-presidente de embaixadas e consulados, Maurício Gomes de Mattos. Perguntamos se alguma providência será tomada sobre as manifestações políticas da Fla-Sampa no Twitter e sobre o SAC para formalização de denúncias sobre descumprimento do regimento interno e do código de conduta. Até o fechamento desta matéria, ainda não recebemos nenhuma resposta sobre os questionamentos enviados.

Tantos as embaixadas como os consulados, vivem de forma independente, sem qualquer custo para o clube. Eles bancam seus eventos, passagens de convidados, ingressos e materiais oficiais. Também não há qualquer pagamento de taxa para inclusão, mas o cumprimento do requisito mínimo de sócios-torcedores ativos e a assinatura do código de conduta e regimento interno.

Foto: Paula Reis/Flamengo

Por: Tulio Rodrigues (@PoetaTulio)
Colaboração: Higor Neves (@Higorsneves)

+ Siga o Blog Ser Flamengo no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Dailymotion

Comentários