O pênalti não foi marcado por acaso

 Fizemos um campeonato razoável, um feijão com arroz sem sal. Nos jogos chaves, vacilamos em todos e os cito aqui: Flamengo x Botafogo pela Taça Guanabara quando brigávamos pela liderança, Flamengo x Nova Iguaçu pela Taça Guanabara quando precisávamos de um gol para sermos campeões do turno e nos dois jogos das semifinais contra o Vasco. Que o Carioca tenha servido de laboratório para o Departamento de Futebol enxergar que vamos precisar de boas peças para o Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil.

Futebol nas quatro linhas ficou fora dos assuntos mais comentados neste Campeonato Carioca. Vale lembrar que Ferran Soriano em seu livro “A bola não entra por acaso”, descreve o pênalti perdido por John Terry na final da Champions League contra o Manchester United no início do seu livro para justificar o título e para mostrar que aquele pênalti não começou a ser perdido ali, mas bem antes por um conjunto de fatores. Assim foi esse pênalti marcado por Rodrigo Nunes de Sá. Esse pênalti começou a ser marcado desde o momento que Flamengo e Fluminense se rebelaram contra o sistema da FERJ.

Essa luta que parece ter iniciado agora, mostrou a todo momento que haveria uma resposta por quem tem o poder do sistema na mão. E tivemos essas respostas no sábado no jogo Botafogo x Fluminense em que o Fluminense foi prejudicado e no domingo em que dessa vez foi o Flamengo a ficar no prejuízo. A questão não é só os erros de arbitragem em si, pois árbitros erram a todo instante seja a favor ou contra qualquer equipe, mas o conjunto da obra, por tudo que ocorreu ao longo do Campeonato Carioca 2015. É para se achar no mínimo estranho que duas equipes que brigam com a Federação sejam prejudicadas em seus jogos decisivos.

Espero ação e postura a partir de agora com relação a competição e o sistema que rege o futebol do Rio por parte do Flamengo. Ano que vem não podemos disputar o carioca por respeito a imprensa, a televisão e aos patrocinadores. Chegou a hora de respeitarmos a nós mesmos, a nossa grandeza e a torcida que deixa o coração falar mais alto para ir aos jogos.

Quero ver e vou cobrar uma postura enérgica e ações quanto ao que ocorreu esse ano no campeonato carioca e se o Flamengo disputar o carioca do próximo sem nada mudar no futebol do Rio de Janeiro e na sua Federação é porque é conivente com que vimos acontecer não só hoje, mas desde aquela invasão suspeita ao vestiário do Macaé. Apoio não falta para a brigar.

Para Eurico Miranda, o respeito voltou, mas eu pergunto que respeito é esse? É respeito se beneficiar da Federação porque seu presidente é sócio do seu clube? É respeito ser a favor de um modelo retrógrado e falido de um campeonato defasado? É respeito ser a favor de medidas arbitrárias e ditatoriais como forma de retaliação? É respeito vencer jogos com pênaltis duvidosos? Que pelo menos o respeito voltasse na bola!

O site do Vasco postou uma foto com a frase “O respeito voltou” e no fundo uma pena de urubu sangrando. Imagem que ilustra esse post. Esse sangue pode ser traduzido como uma lágrima pelo prejuízo que Eurico vem trazendo ao futebol carioca e já podemos aguardar que isso será estendido ao nacional. Lágrimas de Flamengo, Fluminense e de todo aquele que torce por um futebol melhor para Clubes, jogadores, torcedores… Eurico prima pela volta ao passado.

Que FERJ se deleite com a final que lhe convém!

E a luta continua…

Saiba mais: Para a alegria do senhor Eurico Miranda

Twitter: @PoetaTulio

Blog Ser Flamengo no Twitter: @BlogSerFlamengo
Página do Blog Ser Flamengo no Facebook: Blog Ser Flamengo
Blog Ser Flamengo no Instagram: instagram.com/blogserflamengo

Comentários