Pedrito que deu “vapo” no Goiás e é a cara do Flamengo!

A gente tenta começar a escrever um texto mais “concentrado”, analisando o Flamengo, dissecando a partida que o rubro-negro fez contra o Goiás, mas vem Pedro e nos faz jogar tudo para o alto e acabar tendo que escrever com o coração em vez da razão.

Não que não seja ótimo/maravilhoso falar de um jogo onde o Flamengo, mesmo com dificuldades de montagem de time e tempo de descanso, passar por cima de outro adversário, na raça, CRIANDO OPORTUNIDADES, diferente do que diziam os comentaristas do Grupo Globo no Premiere, onde diziam que o Flamengo não tinha criatividade, estando o time da Gávea com 27 finalizações ao final do jogo.

O Flamengo começou mais um jogo sem seus dois principais jogadores mortais: Everton Ribeiro e Arrascaeta, cada um com uma seleção. Isso sem contar Rodrigo Caio e Isla também convocados. Flamengo também começou tomando gol, marcado por Vinícius Lopes aos 13 minutos de jogo, em falha de marcação no lado direito da nossa defesa – aliás, tendência essa dos gols que sofremos.

No segundo tempo, num jogo chato do ponto de vista de se enfrentar um adversário que abdicava de jogar(e aí isso é uma opinião particular minha: nunca vai ser proposta de jogo um adversário ficar na defesa pra tentar resolver numa bola) e que queria ganhar no grito. Rafael Moura quase foi expulso nessas condições.

Mas aos 39 minutos, ele, nosso atual artilheiro, que “fede” a gol, Pedro, colocou para dentro passe açucarado que recebeu de Gerson, e bateu de canhota para empatar o jogo no Maracanã.

No segundo tempo, Domènec fez uma alteração que, do ponto de vista posicional, eu não considerei errada, mas a escolha talvez tenha sido: sacou Gerson e lançou Lincoln para jogar centralizado, inclusive foi sua única alteração no jogo.

Lincoln pouco fez, inclusive sofreu encaixotado na marcação goiana. Em contrapartida, ele fez de novo. Aquele que parece ter um caso de amor de séculos com a bola. Pedro, após tentativa de finalização de Willian Arão. O atacante viu a bola sobrar limpa dentro da área, foi mais rápido que a marcação e garantiu ao Flamengo mais 3 pontos na tabela do Campeonato Brasileiro.

E deixa eu te contar uma coisa que ta todo mundo sentindo: o grito de “segue o líder” ta brotando de novo, não ta? Eu sei que a nação já ta doida pra gritar isso de novo, só ta esperando a oportunidade, e pelo visto, ela virá antes do que a gente imagina.

 

Foto: André Durão/Globo Esporte

___

Por Germano Medeiros (@germanofmedeiros)

+ Siga o Blog Ser Flamengo no Instagram, no Facebook, no Twitter, no Youtube e no Dailymotion.

Ficha técnica da partida:

Flamengo 2 x 1 Goiás – jogo atrasado da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro 2020/21 – Estádio Jornalista Mário Filho “Maracanã”, Rio de Janeiro, RJ.

Flamengo(4-2-3-1): Hugo; Matheuzinho, Gustavo Henrique, Nathan e Filipe Luís; Willian Arão e Thiago Maia; Michael, Bruno Henrique e Gerson; Pedro. Técnico: Domènec Torrent.

Goiás(4-3-3): Tadeu; Edilson, David Duarte, Fábio Sanches e Caju; Daniel Bessa, Breno e Shaylon; D. Villalba, Vinícius Lopes e Rafael Moura. Técnico: Enderson Moreira.

Gol(s): Vinícius Lopes(13′) para o Goiás; Pedro(39′ e 96′) para o Flamengo.

Cartões amarelos: Filipe Luís para o Flamengo; Tadeu, Caju, Rafael Moura e Villalba.

Comentários