Por um “descuido”.

 
Ficha técnica:

Escalação do Botafogo: Jefferson; Lucas, Brinner, Fábio Ferreira, Márcio Azevedo; Amaral, Renato, Seedorf, Andrezinho, Lodeiro; Elkeson. Esquema: 4-5-1 Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Escalação do Flamengo: Felipe; Léo Moura, Welinton, González, Ramon; Cáceres, Luís Antônio, Ibson; Thomás, Negueba, Vágner Love. Esquema: 4-3-3 Técnico: Dorival Júnior.

Estádio: Engenhão. | Público pagante: 15090 | Público presente: 19471 | Renda: R$ 440905

Placar: Botafogo 0 x 0 Flamengo.

Cartões amarelos: Lucas, Brinner, Márcio Azevedo, Cidinho(Botafogo). González, Cáceres(Flamengo).
Arbitragem: Péricles Bassols Pegado Cortez. Auxiliares: Marco Aurélio Santos Pessanha, Rodrigo Henrique Correa.

Diferentemente de outros muitos clássicos recentes, este Botafogo e Flamengo, foi um jogaço! Desde o início do jogo, os dois times procuravam o ataque a todo vapor. E não havia gramado ruim que os impedisse.

O Botafogo não tem um “time inteiro”, mas tem um conjunto no meio-campo que ajuda. Seedorf pode não estar nos seus exuberantes dias, como viveu em Ajax, Real Madrid e Milan, nas décadas passadas, mas ainda é um perigoso desafogo no meio-campo do Botafogo. Foi dele o lançamento para Elkeson, que descolou bola para Andrezinho, que não chegou bem pra finalizar e foi interceptado por Welinton, que vem jogando bem demais. Justiça seja feita!

Não só a zaga, como também o meio-campo do Flamengo estava bem postado. Cáceres, mais uma vez muito bem em campo, passava segurança aos companheiros. Vendo isso, Dorival pediu para que o time explorasse mais as laterais. E assim, o fizeram.

Em certos momentos até mesmo Welinton aparecia lá na frente para ajudar no ataque. Numa dessas idas do Welinton, o zagueiro mandou para Vágner Love que foi derrubado por Amaral. Bassols chegou a marcar pênalti, mas Love já tivera sido encontrado em posição irregular.

O meio-campo do Botafogo fluía bem. O que dificultava era a ausência de um atacante. Elkeson, bastante sumido, pouquíssimo fez.

Do lado rubro-negro, Love perdia para Fábio Ferreira e Brinner no combate direto.Welinton, que estava bem demais em campo, arriscava-se cada vez mais lá na frente. Em mais uma de suas andanças, quase deixa o dele. Numa delas, Welinton subiu, e mesmo marcado cabeceou rente ao travessão de Jefferson. Porém, já era marcada falta de Welinton em Márcio Azevedo.

A partida dinâmica e bastante agradável do primeiro tempo, terminou em 0 x 0.

No retorno ao segundo tempo, Dorival sacou Thomás e mandou Adryan á campo.

Elkeson que vinha apagado no jogo, passou a aparecer mais. Numa das primeiras jogadas dele no segundo tempo, sofreu falta de González, que tomou o amarelo. E por muita reclamação, Dorival acabou expulso e foi lá pra cabine, se juntar a Zinho.

Daí em diante, o jogo esfriou absurdamente. O Botafogo tentava muito, porém nada mais acertava. Seedorf, único ainda lúcido do time em campo, impressionantemente, naquele momento do jogo, ganhava na corrida de muitos garotos do Flamengo e chegou a assustar em bela cobrança de falta.

Já perto do fim, Dorival mandou Liédson á campo no lugar de Negueba. O atacante ainda mandou uma bola no travessão, em boa cabeçada.

No apagar das luzes, quando o Flamengo ainda pressionava, Ramon quase teve sua perna arrancada fora, em carrinho na esquerda, mas Bassols nada marcou. O que gerou inúmeros protestos da torcida rubro-negra.

E o Flamengo, que por um “descuido” não venceu o Botafogo, agora trabalha para ter sorte maior contra o Sport, na quinta-feira, em Volta-Redonda.

Twitter: @43germano

Sigam-nos no Twitter: @Blogserflamengo

Curta a nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo

Comentários

No Comments

Leave a Comment