Pós-Jogo – Flamengo x Botafogo – Semifinal – Taça Guanabara 2013


Hoje era aniversário do Zico, e ele merecia como presente a vitória, ou que fosse o empate e a classificação à final da Taça Guanabara. Dorival subiu ao banco com um discurso de alerta aceso. O Flamengo não podia montar na vantagem do empate e apenas tocar a bola, se segurar e deixar que o jogo rolasse.
Para isso ou talvez com medo do pior, Dorival mandou a campo Carlos Eduardo – sem ritmo algum e sem entrosamento no time. O resultado não poderia ter sido outro: um nada!
Primeiro lance de perigo no jogo e já se sentia a apatia do Flamengo com a vantagem pra uma eventual classificação. Bola no pé de Seedorf e por afobação González dá o bote e abre espaço para Júlio César dominar e avançar. O lateral passa por 3 do jeito que quer, entra na área e bate cruzado. A bola bate do pé da trave e entra nas costas de Felipe. Botafogo abre o placar e se fecha de vez.
O time que jogava no contra-ataque desorganizado, sem velocidade, e que só tinha Seedorf como homem de criação e de resolução de jogadas, organizou-se, fechou-se completamente mesmo com jogadores menos eficientes que o Flamengo e jogou pro rubro-negro a responsabilidade de vir pra cima – afinal, a vitória era deles.
O panorama do jogo no primeiro tempo foi horrível pro Flamengo. Diferente de anos atrás, o Flamengo não tinha as laterais como sua zona de escape. Ficou a mercê do meio. E se o meio só tocava, errava e nada conseguia, o que fazer?
Rafinha tentou, Hernane se esforçou, mas nada aconteceu. E ficou um sopro de esperanças pro segundo tempo, que talvez a coisa mudasse.
De volta pro segundo tempo, a proposta do Botafogo era contratacar e se segurar pra não correr riscos. A do Flamengo? Se jogar pra cima do adversário pra buscar a vitória ou o empate que daria a classificação.
Renato Abreu e Gabriel entraram para dar uma última sobrevida ao time. Dorival optou por abrir mão da marcação e se jogar no ataque. Poderia dar certo.. poderia!
FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 0 X 2 BOTAFOGO
Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 3/3/2013 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Graziani Maciel (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa (RJ) e Luiz Claudio Regazone (RJ)
Renda e público: R$ 831.380,00 / 17.554 pagantes
Cartões amarelos: Dória, Lucas, Lodeiro, Jefferson, Gabriel, André Bahia (BOT), González, Cáceres, 
Renato, Ibson, Gabriel (FLA)
Gols: Julio Cesar, 1’/1ºT (0-1), Vitinho, 48’/2ºT (0-2)
FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Wallace, González e João Paulo; Cáceres (Gabriel, 18’/2ºT), Ibson e Elias (Rodolfo, intervalo); Carlos Eduardo (Renato, intervalo), Rafinha e Hernane. 
Técnico: Dorival Júnior.
BOTAFOGO: Jefferson, Lucas, Bolívar, Dória e Julio Cesar (André Bahia, 38’/2ºT); Marcelo Mattos, Fellype Gabriel, Lodeiro (Vitinho, 29’/2ºT), Seedorf e Andrezinho (Gabriel, 39’/1ºT); Rafael Marques. 
Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Twitter: @43Germano

Sigam-nos no Twitter: @BlogSerFlamengo

Curta a nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo

Comentários

No Comments

Leave a Comment