Respondendo Bandeira de Mello, o presidente contraditório do Flamengo

No último dia 30 de setembro, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello em entrevista ao Jornal O Globo quando questionado sobre os inquéritos abertos contra ele pelo uso indevido do clube em sua campanha política, respondeu que “As acusações não fazem sentido, provavelmente são motivadas pela disputa eleitoral interna“. Como autor de um dos inquéritos, vou esclarecer algumas coisas sobre a leviana e mentirosa acusação do mandatário.

Na entrevista que fiz com o candidato a vice-presidente pela Chapa Azul, Walter Oaquim, fiz questão de esclarecer a declaração do presidente ao perguntar se Oaquim tem ambições de tentar algum cargo eletivo na esfera pública: “Hoje o Bandeira está candidato a deputado. É um direito pessoal dele. Vivemos numa democracia, mas quando envolve o Flamengo há algumas restrições. Principalmente estatutárias. Na minha opinião, por ele estar com o cargo de presidente em curso, seria prudente que não se candidatasse, ele prometeu isso ou se licenciar do cargo, mas sem usar o Fla na campanha. Inclusive vou aproveitar para respondê-lo, pois ele disse em entrevista que os requerimentos contra ele são por causa do processo eleitoral. Eu entrei com um, não apoio chapa alguma, não tenho interesse pessoal nisso. Fiz o requerimento contestando um sócio que está usando o Flamengo e o grupo Flamengo da gente, colocados por engano na coletiva de Ricardo Lomba como apoiadores da Chapa Azul, porém eles se colocaram neutros no processo eleitoral“. Você pode ver a declaração no vídeo abaixo.

Resumindo, o que eu quis dizer é que a tática de nos desconstruir com tal acusação não faz sentido. O Bandeira me conhece desde 2012, o entrevistei algumas vezes e o acompanhei em dois processos eleitorais no clube. Acredito que ele se lembre sempre como procedi. Não faço política, não faço parte de chapas ou grupos e não peço votos. Já o Flamengo da Gente se posicionou em nota sobre a sua neutralidade no processo eleitoral.

Agora vou voltar com mais algumas contradições do presidente. Em agosto deste ano, logo após saber da confirmação da candidatura de Bandeira de Mello, eu fiz o texto:  “Bandeira de Mello se tornou tudo aquilo que ele combatia” e mostrei alguns fatos que me fizeram a tal afirmação. Dias depois a comunicação pediu um direito de resposta, logo concedido. Neste direito de resposta, a comunicação lembrava que em 2016, Bandeira se encontrou com os demais candidatos a prefeitura do Rio. Sim. Verdade, mas somente o candidato Marcelo Freixo ganhou um encontro privado com o presidente do Flamengo com direito a receber camisa com foto e tudo. Os demais candidatos foram em encontros  públicos que envolviam outras pessoas. Você pode ver mais aqui: “Foto de Bandeira com Marcelo Freixo expõe ligação do seu irmão com o PSOL“.

Bandeira com Marcelo Freixo em 2016

Voltando a entrevista ao Jornal O Globo, ele disse que cumpriu tudo o que prometeu em sua posse. Não sei se ele falava do discurso de posse de 2012 ou de 2015, mas lembrei do discuso de 2012 por uma frase dita por ele na entrevista:  “O resgate da credibilidade e o equacionamento dos passivos financeiro, ético e moral“. Um pouco antes de ser eleito em 2012, ele havia dado uma entrevista a Tozza Cam e disse que havia sido chamado para ser o plano B da “Chapa Fla Campeão do Mundo” por Wallim Vasconcellos. Em 2015, em entrevista a Vivi Mariano, ele disse que foi Rafael Strauch que o convidou. Mas no seu discurso de posse de 2012, ele disse o seguinte: “Eu fui lá no cinema Leblon (Lançamento da chapa) cumprimentar o Wallim  e aí ele me disse “Precisamos falar com você. Vou lá no BNDES amanhã pra gente conversar”. Aí ele foi lá com o BAP e me convidou para ser o plano B da chapa caso houvesse algum problema, pois já estava sendo questionada a candidatura dele e isso me honrou muito“. Quem está mentindo? O Bandeira de 2012 pra Tozza Cam ou o Bandeira de 2015 para Vivi Mariano? Você pode vê-lo falando sobre isso no vídeo abaixo.

Para terminar, ele disse nessa mesma entrevista “que tudo o que foi prometido foi cumprido“. Claro que não foi. E para não ir longe, fiz um vídeo só com suas promessas para o futebol feitas em 2015. Das 28 promessas, somente 10 foram cumpridas. Qual a ética e a moral tem alguém que mente na imprensa para sua torcida? Com qual ética e com qual moral, Bandeira quer ser deputado? Será que irá xingar e mandar bananas para a população quando for cobrado e criticado? É isso que a população quer? Bandeira se mostrou ao longo dos seis anos a frente do Flamengo muito diferente do que prometera ser e do que era inicialmente, aquele senhor humilde que conheci em 2012.

Que Bandeira de Mello seja punido no Flamengo pelo uso indevido do clube e que não seja eleito deputado, pois além de ter ido contra a ética e a moral de suas palavras para ingressar na vida política nacional, ele não tem preparo emocional e administrativo para o que o desafio precisa. Não vote em Eduardo Bandeira de Mello!

Tulio Rodrigues (@PoetaTulio)

+ Siga o Blog Ser Flamengo no Twitter, no Instagram, no Facebook, no Youtube e no Dailymotion.

Comentários