Um nocaute?

Ficha técnica da partida:

Escalação do Flamengo: Paulo Victor; Léo Moura, Marllon, Arthur Sanches, Magal; Aírton, Ibson, Renato, Bottinelli; Hernane, Love. Esquema: 4-4-2. Técnico: Joel Santana.

Escalação do Corinthians: Cássio; Alessandro, Chicão, Paulo André, Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Douglas, Danilo; Romarinho, Emerson. Esquema: 4-4-2. Técnico: Tite.

Gol(s): Douglas 27’, 39’ 1º tempo, Danilo 9’ 2º tempo(Corinthians).

Cartões amarelos: Chicão 30’ 1º tempo(Corinthians). Aírton 26’, Adryan 43’ 2º tempo.

Arbitragem: Sandro Meira Ricci. Auxiliares: Altemir Hausmann, Roberto Braatz.

Placar: Flamengo 0 x 3 Corinthians.

Foi um nocaute?

Quem olhou ontem, antes do jogo, para a tabela do campeonato brasileiro, veria que o Corinthians estava em pior situação e na teoria iria pro Engenhão “desesperado” por um bom resultado. E quem olhasse pra posição do Flamengo, diria: “Ah, esse time está tranqüilo. Até mesmo um empate serve.” Não foi o que se viu.
Tudo começou quando, no domingo, o Flamengo venceu o Bahia – com um pênalti que não houve – e Joel Santana, no início da semana, chamou a torcida pra lotar o Engenhão e empurrar o time rumo à mais uma vitória. Da parte da torcida, foi sim, o que se viu. Da parte do time em campo, a conversa é outra. É errado massacrá-los em conjunto, porque, o Flamengo começou bem, apertava a marcação no início do jogo, e tentava de alguma forma dificultar o jogo do Corinthians. Uma pena que esse Corinthians, ainda é o time cascudo e poderosíssimo que foi recentemente campeão da Taça Libertadores da América.

Um time que possui Romarinho e Emerson “Sheik”, que no primeiro tempo atormentaram a zaga do Flamengo. Zaga que bateu cabeça o jogo inteiro. Pra falar a verdade, foi bem estranho a forma como jogou o time do Flamengo ontem. Quem viu o jogo, não dá pra dizer que algum setor do Flamengo tenha, digamos efetuado bem seu trabalho. Porque simplesmente, o Flamengo de hoje não possui setor. Love volta o jogo inteiro, os 90 minutos, pro meio e até mesmo, como ontem aconteceu, pra zaga buscar jogo. Aí eu te pergunto: “Como um atacante assim, que se desgasta 5 vezes mais, voltando para um setor que não é o seu, pra buscar jogo e tentar criar, vai conseguir render algo pro time.”

Love está a simplesmente 5 jogos sem marcar um gol sequer. Não é para menos. Não existe quem crie jogadas. Jogar a culpa no Bottinelli? Ele não é Zico e garanto que nunca será. A culpa é do Renato? Não. Não, não e não. A culpa está no banco. Aliás, uma ampla parcela de culpa está lá. Não toda. Mas uma boa parte pertence ao digníssimo Joel Santana.

Voltando pro jogo.. O cenário que se via era esse. O Flamengo tentava iludir a torcida, somando e juntando posse de bola, mas a cada contra-ataque do Corinthians, as pernas tremiam. Não estou aqui elogiando o time do Corinthians, estou apenas falando o que vi no jogo. Que fique claro isso!

E numa dessas subidas, por conta de tanta bagunça, o Flamengo foi punido. Bottinelli recebe um passe horrível e tenta dominar de costas pro ataque. Douglas rouba-lhe a bola e parte em direção ao gol, Apenas um zagueiro fazia a cobertura.. Cobertura? Douglas entrou como quis na área rubro-negra e bateu no canto direito de Paulo Victor.

A torcida, julgando ser Bottinelli, o culpado pelo gol do Corinthians, passou a vaiá-lo. Sorte que ele não sentiu as vaias e até passou a jogar melhor.

Mas a bagunça que era e é o Flamengo, não foi apagada. Em novo contra-ataque do Corinthians, Renato na tentativa de cortar, “corta” de calcanhar pra trás. Não viu que Douglas estava ali e também não o viu acertar um belo chute e ampliar. Paulo Victor culpado? De forma alguma.

Fim de primeiro tempo.

No retorno, Joel mandou Adryan na vaga de Bottinelli. E bem que poderia jogar os dois e Renato sair. Mas o Renato é intocável!

E pra quem achava que o Flamengo iria conseguir um gol bem no comecinho e continuar sufocando o Corinthians, para um empate, se enganou! Em ótima jogada trabalhada pelo Corinthians, a bola foi lançada de Romarinho para Danilo, acertar outro belo chute, com força e efeito, tirando de Paulo Victor. 3 a 0 em pleno Engenhão. E o infeliz silêncio da torcida rubro-negra.

O Corinthians marcou o terceiro gol, cedo. E dali em diante, era administração de resultado e meia hora de um verdadeiro inferno, tanto pros rubro-negros que foram pro Engenhão, quanto para os que (como eu) estavam vendo o jogo em casa.

O Corinthians girava a bola de pé em pé, jogava como queria e aonde queria. A torcida do Flamengo vaiou o time, vaiou Joel.. e se contra o Grêmio tomou um belo tapa na cara, ontem foi um nocaute?

Twitter: @43Germano

Sigam-nos no Twitter: @BlogSerFlamengo

Curtam a nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo

Comentários

No Comments

Leave a Comment