Uma analogia do Flamengo de Patrícia e do Flamengo de Joel

Meu sentimento hoje não é nada amistoso e afável com todo mundo que vem comandando o Flamengo. Isso vale para toda a cadeia do Clube, desde a Presidente até a Comissão Técnica. Não estou a fim de polemizar neste momento, pois sempre que me oponho a diretoria, recebo mensagens nada agradáveis!
O que quero dizer é que esse Flamengo de hoje é o reflexo de quem o comanda. Pareço disco arranhado, mas é verdade! Joel colocou um time ofensivo que até deu amostras de que jogaria pra frente e assim o fez até o fim do primeiro tempo. Assim também foi contra o Bangu e exemplos não faltam. Lembram da campanha da Patrícia Amorim quando candidata a Presidente do Clube em 2009? Eu lembro! Em sua plataforma de campanha, prometia uma administração moderna, profissionalização do Departamento de Futebol e o velho chavão de transformar o Flamengo num Clube-Empresa.
 Já estamos no último ano de mandato da Presidente e me respondam: algo parecido ocorreu neste triênio no Flamengo? Assim é o time de Joel! Começa com uma proposta e depois faz o inverso. Estou sendo equivocado nessa analogia?
Quando o time voltou pro segundo tempo, Joel não mexeu na equipe e com cinco minutos já era claro a proposta que com certeza foi conversado no intervalo: jogar atrás e sair nos contra-ataques. Logo em seguida me tira o Deivid e põe o Gustavo com o Flamengo ficando com três zagueiros. O primeiro gol do Emelec foi em nosso ponto mais fraco, a bola levantada na área e o velho erro de marcar a bola e não o adversário. Em seguida Wellinton, Gustavo e Willians começaram a distribuir porrada que resultavam em faltas próximas da área. O segundo gol do Emelec, o de empate foi num erro crasso de posicionamento da defesa. Era para o grande Junior César estar marcando o pequeno Figueroa? Para piorar, tirou o inoperante Bottinelli para por o Magal. Que porra de tática é essa? Não entendi até agora! Neste momento eu vi que Joel acovardou! Tirando o incrível gol perdido por Vagner Love, o Flamengo não criou mais nada e nem criaria com a postura adotada.
A classificação agora depende de um milagre que só São Judas para intervir. A parada é a seguinte: o Flamengo precisa vencer o Lanús e torcer pelo empate entre Olímpia e Emelec no Paraguai.
                                          
Se ganharmos o Carioca e nos classificarmos para a próxima fase da Libertadores só vamos mascarar os problemas internos, políticos e administrativos. Um Clube de maior torcida do país que é administrado por uma política amadora, engessada e retrógrada! Somos presididos por uma mulher que compra as Organizadas em troca do silêncio ou vocês acham que outrora as principais torcidas não teriam pedido pelo menos uma reunião com Joel e os jogadores? Desde que Patrícia foi eleita, o Flamengo não gastou mais dinheiro com tinta, os muros da Gávea estão ilesos por uma omissão comprada!
Na quarta-feira estarei no Engenhão apoiando o Flamengo com todo meu amor e determinação de sempre, afinal como eu disse num post anterior, um filho jamais foge a luta e tudo passará, mas o Flamengo nasceu eterno, mas hoje devemos pensar na importância em ser sócio e participar cada vez mais do Clube para um futuro mais promissor. Só assim dá para mudar algo! Do contrario…
E como diz o Alex Triplex do Flamengonet: E nada mais digo!!!

Twitter: @poetatulio

Siga-nos no Twitter: @blogserflamengo 

Curta nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo

Comentários