Uma geração que não se apaga, mas se eterniza

Como esquecer de uma geração que entre títulos nacionais e internacionais trouxe quase cinquenta taças para o Flamengo? Como esquecer uma geração que contava com Leandro, Andrade, Adílio, Tita, Júlio César “Uri Geller”, Zico, Rondinelli e Junior; todos revelados na Gávea e que ainda contava com Raul, Carpegiani e Nunes?
Se forem pesquisar os pormenores dessas conquistas, sabe-se que no primeiro jogo da final do Brasileiro de 1980, Éder fraturou a mandibula de Rondinelli numa dividida, que o Flamengo jogava quase que diariamente, parecendo sair direto do aeroporto para o campo, que de maio a dezembro de 1981, o Flamengo disputou 49 jogos, sendo 35 pelo Carioca e 14 pela Libertadores, que Adílio teve um supercílio rompido, que Lico perdeu dois dentes e quase perde um olho com as deslealdades de Mario Soto do Cobreloa na final da Libertadores de 1981.
Apagar é um verbo que não se conjuga para essa geração que veio para se eternizar e permanecer para sempre na memória de flamengos de qualquer geração. Confesso que meu sonho é ainda ver um Flamengo como aquele, um Flamengo que apaixona multidões, que arrebata a emoção, o orgulho e o choro de seu torcedor. Um Flamengo com craques em cada posição, um Flamengo que tenha jogadores que honrem o Manto Sagrado com orgulho, coragem e raça.
Esse é o Flamengo que vejo nessa geração. Que até para os adversários foi um dos maiores times de todos os tempos, um Flamengo que foi reiventado, passando a ser muito mais que só um time das multidões, mas um time multicampeão.
Impossível esquecer, apagar… E que venham novos títulos, novas Libertadores, novos Brasileiros, mas nunca se apagará um time como aquele, títulos com aqueles. Esse time é a clara certeza e sinônimo de um Flamengo que deu certo, um modelo que deve ser seguido por todo time e jogador que quiser se eternizar na história do Flamengo.
Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Junior; Andrade, Adílio, e Zico; Tita, Nunes e Lico (Júlio César). Time base que conquistou a Brasileiro, Libertadores e o Mundial. Tem ainda Rondinelli, Peu, Cantarelli, Baroninho e outros que me falha à memória agora.
Obrigado a vocês por fazerem do Flamengo um time de grandes e importantes conquistas, por fazerem do Flamengo a felicidade de milhões de brasileiros, por fazerem do Flamengo um sinônimo de amor, orgulho e alegria no coração de cada Rubro-Negro!
Tulio Rodrigues.

Siga-nos no Twitter: @blogserflamengo

Curta nossa Fanpage no Facebook: Blog Ser Flamengo

Comentários