Vamos ajudar a Sarah? Falta pouco!

A Sarah precisa de uma cadeira de rodas especial e para isso criou uma maneira em que as pessoas podem ajudar. Vou deixar um texto e um vídeo abaixo para que você conheça sua história e a maneira de poder ajudar.

Olá! Meu nome é Iasmin Sarah, tenho cinco aninhos e vou contar um pouco da minha história. Minha mãe engravidou com 15 anos. Ela fez todos os exames de pré-Natal e a gravidez correu bem, até chegar o dia do parto. Minha família nunca vai esquecer: dia 12/08/2012. Mamãe foi para o hospital muito contente esperando a minha chegada, mas quando chegou a hora do parto descobriram que ela não tinha passagem para eu nascer de parto normal. Eu só poderia nascer com uma cesariana, só que o médico não quis fazer. O tempo passou e demorei para nascer, fiquei mexendo muito na barriga da mamãe e nasci com circular de cordão no pescoço. Tive Anóxia Neonatal (falta de oxigênio no cérebro) e fui transferida às pressas para a UTI. Fiquei 17 dias internada, sendo cinco deles entubada na UTI.

Então chegou o dia mais esperado: hora de ir pra casa. Tive alta no dia 29/08/2012. Já estava com consulta marcada para o neuropediatra, mas até então minha família ainda não sabia que eu era “especial”. No dia da consulta a neuropediatra deu o diagnóstico: paralisia cerebral e epilepsia. Foi um susto muito grande, deu para perceber que os meus pais tinham ficado bem tristes. Mas eles decidiram seguir em frente e lutam diariamente pela minha melhora.

Até completar dois anos, eu passava mais tempo no hospital do que na minha própria casa. Isso porque ainda estava com a imunidade muito baixa. Nos último três anos tenho melhorado muito, principalmente por causa da fisioterapia, da fonoaudiologia e de muita fé. Atualmente faço uso de três medicamentos para sobreviver: Neuleptil 1% (para dormir), Depakene (anticonvulsivo) e Casbamazepina (anticonvulsivo).

Eu também preciso de uma CADEIRA DE RODAS especial e meu pai teve uma grande ideia: pedir ajuda para a MAIOR TORCIDA DO MUNDO. O meu pai é apaixonado pelo Flamengo. A gente sempre assiste aos jogos juntos. Mau pai é fera no CARTOLA FC e participou de alguns grupos. Ele terminou em primeiro lugar em três grupos de torcedores do Flamengo e ganhou uma camisa do clube como prêmio. A ideia era sortear a camisa, mas tivemos uma ideia bem melhor. Pedir ajuda para a torcida.

Conto com a força da Nação para conseguir comprar essa cadeira. Vou ter um pouco de conforto e vai ajudar muito a minha família.

Teremos muitas recompensas para quem ajudar.

Obrigado pessoal!”

Para ajudar a Sarah, acesse: benfeitoria.com/flacomsarah

 

Tulio Rodrigues (@PoetaTulio)

+Siga o Blog Ser Flamengo no Twitter, no Instagram, no Facebook, no Youtube e no Dailymotion.

Comentários