Dos soldados, as boas vindas ao Guerrero.

Dois jogos e um revés separaram o Flamengo de seu melhor jogo em toda a temporada. Contra o Joinville, fora de casa, a vitória veio; contra o Figueirense, uma derrota indigesta no último minuto trouxe a crise à tona novamente. Mas Joinville e Figueirense viram um aperitivo do que viu o Internacional, horas atrás no Beira-Rio. Um Flamengo totalmente aplicado taticamente e mostrando muita raça durante todo o jogo. Porém nada de um jogo feio com muita marcação e ganho na base do abafa. A estreia de Paolo Guerrero teve um Flamengo disposto a sair da crise, a qual ainda se encontra, o atacante peruano contagiando todo o time com sua chegada e fazendo o Flamengo quebrar um tabu de 13 anos sem vitória ante o Internacional no Beira-Rio em Porto Alegre.

Cristóvão Borges armou o Flamengo num 4-4-2 que, sem a bola, invertia-se para um 4-3-3, onde Jonas e Cáceres faziam a dupla de volantes e Canteros e Everton, o meio. Enquanto Paolo Guerrero e Emerson Sheik, a linha de frente. Quando atacado, Canteros recuava para ajudar Jonas e Cáceres na marcação e liberava Everton para armar jogadas. Cristóvão que muito peca por decisões precipitadas e escalações sem ofensividade, ontem surpreendeu. O Internacional simplesmente não conseguiu se impor. Valdivia e D’Alessandro eram os únicos capazes de oferecer algum perigo ao gol de César, mas sequer conseguiram furar o forte bloqueio montado por Cristóvão. O argentino saiu durante o segundo tempo com a mão lesionada e, do banco de reservas, viu Ernando de esquerda, diminuir o placar aos 47 minutos do segundo tempo após falha de Jorge.

E se Cristóvão acertou no esquema tático escolhido, acertando na forma do Flamengo jogar e fazendo o time quebrar um tabu de 13 anos sem vitória no Beira-Rio, Paolo Guerrero, estreante da noite, também tinha um tabu particular a derrubar. Guerrero que já atuou por Hamburgo e Bayern de Munique, ambos da Alemanha, e o Corinthians(último clube antes de vir ao Flamengo), jamais havia marcado em sua estreia. Com a camisa do Flamengo, além de ter feito seu primeiro gol esta noite, foi a primeira vez que Paolo Guerrero marca um gol estreando por um clube. Eis a força que tem o Flamengo.

O gol veio logo aos 10 minutos do primeiro tempo. Com a jogada começando na direita com Emerson Sheik em arrancada. Emerson inverteu ao lado esquerdo para Everton, que dominou e viu Jorge chegando em diagonal. O lateral dominou e já entrou na área, bateu cruzado, a bola desviou na marcação e subiu. Canteros que estava perto da pequena área, ajeitou de cabeça para a chegada de Guerrero, que de sola abriu o placar.

Sorte? Para falar sobre o Flamengo no restante do jogo, prefiro falar em trabalho e competência. O segundo gol, que deu a vitória rubro-negra em Porto Alegre, só saiu aos 20 minutos do segundo tempo. O Flamengo dominava o jogo de forma categórica e o segundo gol, também da forma como foi feito, serviu como “a cereja do bolo”, para coroar a bela atuação do time na estreia de seu mais novo reforço.

Emerson Sheik tinha a bola dominada na direita e a tocou para Guerrero dentro da área. O peruano fez uma inteligentíssima jogada de futsal(puxou a bola com um pé e tocou com o outro) e, por baixo das pernas do marcador, serviu Everton que bateu no ângulo, sem chances para Muriel.

O Flamengo resolvia o jogo e poderia ter feito mais com Cáceres, Jorge e Canteros, por exemplo. Mas com certeza, o maior presente que o time se deu e deu a torcida, para além dos 3 pontos, foi a postura impecável dentro de campo. Um time que se mostrou compacto, seguro e potente na marcação e competente no ataque. E nada como a união de seus soldados para dar as boas vindas ao Guerrero.

Ficha técnica

Internacional 1 x 2 Flamengo

Campeonato Brasileiro, 12ª rodada

Local: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Data: 8 de julho de 2015 (quarta)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio

Assistentes: Fábio Pereira e Bruno Raphael Pires

Cartões amarelos: Geferson, Nicolás Freitas e Rafael Moura(Internacional); Marcelo e Jorge(Flamengo)

Internacional: Muriel; William, Alan Costa, Ernando e Geferson; Rodrigo Dourado, Wellington Martins, Valdívia e D’Alessandro; Alisson Farias e Lisandro Lopes. Técnico: Diego Aguirre.

Flamengo: César; Ayrton, Marcelo, Wallace e Jorge; Cáceres, Jonas, Canteros e Everton; Paolo Guerrero e Emerson Sheik. Técnico: Cristóvão Borges.

Vídeo – “O Flamengo tem a maior torcida do mundo” – Guerrero 

Twitter: @43Germano

Blog Ser Flamengo no Twitter: @BlogSerFlamengo
Página do Blog Ser Flamengo no Facebook: Blog Ser Flamengo
Blog Ser Flamengo no Instagram: instagram.com/blogserflamengo
Blog Ser Flamengo no YouTube: youtube.com/blogserflamengo

Comentários