No alto, para o alto e avante, Flamengo!

Não foi um espetáculo como em outrora o jogo de hoje na Vila Belmiro, mas, quando o Flamengo controlou os ânimos e saiu do precipício psicológico o qual o time começava a entrar de novo – com os dois gols anulados marcados pelo Santos – o rubro-negro se encontrou e conseguiu vencer o alvinegro do litoral paulista por 1-0, ir aos 8 pontos e ter mais tranquilidade para seguir em frente o novo trabalho de Domènec Torrent.

Mesmo com Maurício Isla já regularizado e pronto para o jogo, Torrent optou por lançar Renê de lateral direito no primeiro tempo. Como é de consenso quase que geral, Renê é esforçado, mas não passa disso. E o esforço que tem, é para ser um lateral de contenção, marcador e pra segurar jogo, isso quando está numa noite melhor que o seu normal. Mas colocá-lo num fogaréu duplo, para cobrir o lado esquerdo oposto ao dele e ainda um motor como é Soteldo, do Santos, complica a sua vida. Renê passou sufoco no primeiro tempo, bem como o time também passou, e pelo lado direito com Pará, dando sufoco a Filipe Luís.

Foi dessa maneira que o Santos chegou a marcar dois gols, ambos impedidos. No primeiro gol, Pará fez a ultrapassagem, deixando Filipe Luís, Gerson e Arrascaeta que chegava, vendidos. Arrastou três marcadores e cruzou à meia altura para Raniel escorar para o gol. O lance foi à análise e corretamente anulado. O segundo gol e que seria ainda o primeiro do Santos, veio de um cruzamento de Marinho numa cobrança de falta. Jobson, ao meu ver, tentou raspar na bola com a cabeça e deixou o braço para, discretamente, a bola tomar o rumo do gol. Mais uma vez, análise do VAR, e mais uma vez o gol foi anulado. Nisso, foram gastos pelo menos uns 7 minutos, que foram acrescidos ao fim do primeiro tempo, quando, aos 50 minutos, Michael partiu em contra-ataque, achou Gabigol sozinho no lado direito, que invadiu a área e finalizou de bico, forte, no alto de João Paulo, para dar ao Flamengo a vitória naquele momento e levar o clube aos 8 pontos na tabela do Campeonato Brasileiro.

O segundo tempo foi movimentado na Vila Belmiro, com Diego Alves fazendo uma defesa “impossível” e saindo machucado na sequência, Gabigol torcendo o tornozelo direito, Isla fazendo sua estreia e já tendo que trabalhar para conter as investidas de Soteldo, que já havia bagunçado a vida de Renê no primeiro tempo.

No fim de tudo e no conjunto da obra, o Flamengo fez um jogo de segurança. Criou várias oportunidades em contra-ataques fortíssimos, Gabigol perdeu chance clara, Michael perdeu chance clara e Arrascaeta, numa única bola que teve no início do primeiro tempo, mesmo que o jogo tivesse sido parado, mandou no ângulo, de fora da área. Com isso, a gente se põe a pensar: o uruguaio consegue uma efetividade maior que Gabigol quando o assunto é finalizar pro gol.

O Flamengo terminou o jogo num 4-6-0, com a defesa e o meio bem povoados, sem centro-avante, e já por isso, apenas administrou o resultado, controlou o jogo do Santos e saiu de São Paulo com mais tranquilidade para encarar o Bahia, quarta-feira, em Pituaçu.

Hoje tivemos uma maior rodagem no time, coisa que é primordial para que o elenco chegue a todo vapor em dezembro e janeiro, que é quando essa temporada, em especial, irá chegar no seu pico de decisões. Everton Ribeiro só entrou no segundo tempo, Arão também, e Pedro sequer foi ao jogo. E apesar do que sempre ocorre quando Renê joga, seja na esquerda ou na direita, a entrada dele fez com que Isla ficasse 50 minutos assistindo ao jogo, vendo os pontos fracos do Santos de maneira que já entrasse em campo tendo uma melhor noção do que iria fazer.

Foto: Fox Sports

___

Por Germano Medeiros (@43Germano)

+ Siga o Blog Ser Flamengo no Twitter, no Instagram, no Facebook, no Youtube e no Dailymotion.

 

Ficha técnica da partida:

Santos 0 x 1 Flamengo – Estádio Urbano Caldeira “Vila Belmiro”, Santos, SP.

Santos(4-3-3): João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan(Ivonei); Jobson(Jean Mota), Diego Pituca e Carlos Sanchez(Lucas Braga); Marinho, Soteldo e Raniel(Kaio Jorge). Técnico: Cuca.

Flamengo(4-3-3): Diego Alves(César); Renê(Isla), Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luís; Thiago Maia, Gerson(Willian Arão) e Arrascaeta; Michael, Bruno Henrique(Everton Ribeiro) e Gabigol(Diego). Técnico: Domènec Torrent.

Gol(s): Gabigol(50 do 1º tempo) para o Flamengo.

Cartões amarelos: Pará, Lucas Veríssimo, Ivonei, Jobson e Soteldo(Santos); Renê, Isla, Willian Arão, Michael, Gabigol e Bruno Henrique(Flamengo).

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio. VAR: André Luiz de Freitas.

Comentários